sexta-feira, 12 de abril de 2024

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

37,6% dos produtores rurais do Pará estão inadimplentes, mostra estudo; estado é o 8º no Brasil

Mesmo com grande parte da economia movida pelo agronegócio, a região Norte é a tem maior nível global de inadimplência, chegando a 40,1%
Num período de 12 meses, a arroba do boi teve desvalorização média 50% e levou a uma crise por todo o estado (Foto: Adepará / Agência Pará / Imagem Ilustrativa)

Levantamento feito pela Serasa Experian mostra que 37,6% dos produtores rurais do Pará estão inadimplentes. Com isso, o estado ocupa o oitavo lugar no ranking nacional de produtores rurais sem condições de pagar dívidas. A região Norte, onde o agronegócio é uma parte significativa da economia, aparece em primeiro lugar, com índice de 40,1%. Os dados são referentes a julho e levaram em conta 10 milhões de pessoas.

A pesquisa considerou as 27 unidades federativas do país e revelou que, em julho deste ano, 28% dos produtores rurais brasileiros estavam inadimplentes. No perfil dos produtores com dificuldades financeiras, os dados mostram que os trabalhadores rurais que têm mais de 60 anos têm menor inadimplência. Os que têm entre 18 e 25 anos marcaram níveis mais altos.

 

“Ainda que tenhamos uma fatia de produtores inadimplentes, esse número pode ser considerado baixo, pois, quando comparamos com toda a população negativada, por exemplo, o índice chegou a 43,7% em julho deste ano. Além disso, a relação com o estudo que fizemos em março deste ano mostra que o índice permaneceu praticamente estável, com aumento de 1%”, explicou, em nota, o head de agronegócio da Serasa Experian, Marcelo Pimenta.

Por região, é possível observar que o Sul registrou o menor nível de negativação, com apenas 15% dos trabalhadores do campo com nome no vermelho. Na sequência estavam o Sudeste (24,6%), o Centro-Oeste (30,4%) e o Nordeste (33,8%). Em relação aos estados, o Amapá tem o maior percentual de produtores rurais inadimplentes. Já Santa Catarina mostra o cenário mais positivo.

Produtores rurais com 60 anos ou mais têm menor índice de inadimplência que os mais jovens e a Serasa Experian recomenda educação financeira e seguros agrícolas para mitigar os impactos (Foto: Marco Santos / Agência Pará / Imagem Ilustrativa / Arquivo)

 

Planejamento e seguro agrícola pode ser forma de minimizar impactos

Recomendação da Serasa Experian para reduzir os riscos de inadimplência é manter um perfil de crédito saudável e continuar com a produção em dia. Os produtores rurais, destaca a entidade, precisam se dedicar ao planejamento financeiro. No caso do agro, implica conhecer os movimentos do mercado ligados aos custos de insumos e os preços futuros da produção com o objetivo de controlar as finanças.

“Além disso, é preciso considerar a contratação de seguro rural para proteger o produtor e a sua produção dos riscos ligados a chuvas excessivas, seca e geada entre outros. Assim, quando ocorrerem esses eventos, o produtor tem a opção de utilizar o seguro para cobrir suas obrigações com os financiadores e parceiros sem o risco de ter seu nome negativado”, diz nota da Serasa Experian.

De maneira geral, as negociações de débitos vencidos ou próximos ao vencimento são sempre um caminho assertivo para evitar fazer parte da lista de inadimplentes, afirma a entidade. “A maior parte dos produtores rurais brasileiros consegue evitar a inadimplência e continuar gerando empregos, cultivando e expandindo seus ganhos. Ainda assim, para aqueles que precisam de ajuda, temos o compromisso de proporcionar ferramentas que auxiliem a regularização financeira”, completou Marcelo Pimenta.

(Victor Furtado, da Redação do Fato Regional, com informações da Serasa Experian)


LEIA MAIS, NO FATO REGIONAL:

Siga o Fato Regional no Facebook e no Instagram!