Acusados de envolvimento na morte de PM são identificados e presos

Uma mulher foi presa no bairro do Guamá, em Belém, acusada de envolvimento na morte do sargento da Polícia Militar, Max Pedro da Silva Ferreira. Segundo investigação da Polícia Civil, Everalda Nonata Gil de Souza, 49 anos, foi uma das autoras diretas do crime.

O militar foi morto a tiros em Mosqueiro, distrito da capital do estado, no último dia 10 deste mês. Além de Everalda, a Polícia Civil também prendeu Cristiano Lindi Jesus Damasceno Piedade, 24 anos, de apelido “Karpa”, apontado como o mandante da morte do PM.

Segundo informações da Polícia, Cristiano é integrante de uma facção criminosa com atuação em Mosqueiro. “Karpa” estava recolhido no Sistema Penitenciário do Estado quando deu a ordem para que o militar fosse morto.

Os mandados de prisão – um de prisão preventiva e outro de prisão temporária – contra Everalda e Cristiano foram cumpridos por policiais civis da Divisão de Homicídios, por meio da Delegacia de Homicídios de Agentes Públicos (DHAP), do Grupo de Pronto-Emprego (GPE) e apoio do Núcleo de Inteligência Policial (NIP). Segundo a polícia, Everalda de Souza foi localizada na casa de familiares, na rua da Olaria, no Guamá. O inquérito policial é presidido pelo delegado de Polícia Civil, Davi Cordeiro, da DHAP.

A Polícia destaca que o crime teve a participação de Everalda e de outros comparsas na condição de executores e que estão, no momento, foragidos. As investigações continuam a fim de localizar e prender os envolvidos.


Os presos foram conduzidos até a DH, em São Brás, na capita paraense, onde prestaram depoimentos e depois foram conduzidos ao Centro de Perícias Científicas Renato Chaves para passar por exame de corpo de delito. “Karpa” foi encaminhado ao Complexo Penitenciário de Santa Izabel do Pará. Everalda foi conduzida ao presídio do Centro de Recuperação Feminino (CRF), em Ananindeua, onde permanecerá recolhida à disposição do Poder Judiciário do Estado.

 

Da Redação Fato Regional, com informações da Polícia Civil

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar