quarta-feira, 12 de junho de 2024

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

Adepará reforça alerta sobre regras de uso de biodefensivos agrícolas

Pelo menos 8 itens são totalmente obrigatórios e precisam de muita atenção dos produtores rurais, que estão sujeitos a punições caso o uso dos biodefensivos agrícolas não seja dentro das regulações
O uso de biodefensivos agrícolas tem legislação e precisa ser seguida de forma séria para proteção do trabalhador rural, da produção e dos consumidores (Foto: Idaf / Agência Fiocruz)

Regras sobre o uso de biodefensivos agrícolas precisam ser conhecidas e seguidas por produtores rurais. A Agência de Defesa Agropecuária do Pará (Adepará) reforçou que a fiscalização é constante. Entre os itens fiscalizados estão o armazenamento de agrotóxicos, utilização correta e a devolução de embalagens vazias de defensivos agrícolas.

O fiscal agropecuário Luiz Guamá, gerente do programa estadual de agrotóxicos da Adepará, detalhou fez uma palestra para produtores rurais de Paragominas, no sudeste do Pará, sobre “Uso Correto de Agrotóxicos em Propriedades Rurais”. No evento, explicou quais os oito itens fiscalizados pela Agência e aproveitou para refazer o alerta a produtores de todo o estado.

“Nas fiscalizações, a Agência verifica pelo menos 8 itens obrigatórios como apresentação da nota fiscal, receita agronômica, EPI, a existência de depósito específico para agrotóxico, se a embalagem foi devolvida, se foi lavada, se foi emitido recibo de devolução. Então, o produtor deve ficar atento a isso e cumprir o que estabelece as normas para quando a fiscalização chegar”, orienta Luiz Guamá.

O não cumprimento de todas as normas de uso de biodefensivos agrícolas, além de colocar em risco produtor e produtos, pode levar a contaminações e punições. Em caso de dúvida, a legislação está disponível no site da Adepará e pode ser consultada em qualquer regional do estado de forma presencial.


LEIA MAIS, NO FATO REGIONAL:

(Da Redação do Fato Regional)