domingo, 23 de junho de 2024

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

Ato em São Paulo pede impeachment do ministro Alexandre de Moraes e do presidente Lula

Sem a presença de Bolsonaro, a manifestação deste domingo (9) teve menos adesão que as últimas convocadas pela extrema-direita. Os manifestantes criticavam as medidas de Alexandre de Moraes contra os réus do caso da tentativa de golpe de 8 janeiro de 2023 e a compra de arroz feita pelo governo Lula, cujo objetivo é que a população compre o alimento mais barato.
Muitas pessoas comparecem ao ato, ainda que tenha sido com uma adesão menor que outras manifestações e sem a presença de Bolsonaro, que era aguardada (Foto: Reprodução / Redes Sociais)

Na manhã deste domingo (9), manifestantes de extrema-direita se reuniram na avenida Paulista, em São Paulo, para pedir o impeachment do presidente Lula (PT) e do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal. O ato foi convocado pelas redes sociais há alguns dias e mesmo reunindo várias pessoas, as imagens mostram uma adesão menor comparada a outras mobilizações.

Jair Bolsonaro (PL), principal líder político das pessoas que participaram do ato, não compareceu. Os discursos de deputados de extrema-direita presentes, como Marcel Van Hattem (Novo-RS), criticavam a compra de arroz feita pelo governo Lula para embasar o pedido de impeachment. A medida, apesar de taxada como uma ofensa ao produtores de arroz do Rio Grande do Sul, tem o objetivo de evitar que os preços subam demais. Bolsonaro fez o mesmo em 2020.

Já Alexandre de Moraes foi criticado pelas medidas contra os réus dos caso da tentativa de golpe de estado em 8 de janeiro de 2023. Mesmo com toda a destruição provocada pelos participantes do quebra-quebra antidemocrático, que questionava o resultado das eleições de 2022, todos seguem sendo vistos como patriotas. No Congresso Nacional, tramitam propostas de anistia que tentam isentar Jair Bolsonaro também.

(Victor Furtado, da Redação do Fato Regional)


LEIA MAIS, NO FATO REGIONAL:

Siga o Fato Regional no Facebook e no Instagram!