Banco do Brasil investe no empoderamento feminino no Pará

A Fundação Banco do Brasil coloca em prática, a partir desta quarta-feira (23), durante uma cerimônia realizada em Santa Maria de Pará, um projeto estratégico para o fortalecimento de mulheres como empreendedoras rurais no Estado. Segundo o Banco, a ideia é beneficiar 700 mulheres em 43 grupos em 14 cidades paraenses. Ao todo serão investidos R$750 mil no Pará.

Para o começo das ações, em parceria com a Organização das Nações Unidas para Igualdade de Gênero e Empoderamento das Mulheres (ONU Mulheres), está em Belém Rogério Biruel, diretor de Desenvolvimento Social da Fundação Banco do Brasil.

Há cerca de um ano, o Banco do Brasil expôs, em assembleia geral da ONU em Nova York (EUA), a disposição de investir em ações de protagonismo e empoderamento de mulheres no Brasil, inclusive, frente de prevenção e combate à violência contra cidadãs brasileiras. A ONU Mulheres firmou parceria de pronto com a Fundação Banco do Brasil para as ações.

Sendo assim, o BB investirá R$ 3 milhões em projetos distribuídos nas regiões do Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sul/Sudeste.

Aqui no Pará, a parceria será assinada entre a FBB e o Movimento de Mulheres do Nordeste Paraense (Mmnepa), criado em 1993, no município de Capanema.

O Mmnepa repassará o valor de R$ 750 mil para 43 grupos de mulheres de 14 cidades: Aurora do Pará, Capanema, Bragança, Irituia, Mãe do Rio, Capitão Poço, Ourém, Nova Timboteua, Santa Luzia do Pará, Santa Maria do Pará, São Domingo do Capim, São Miguel do Guama, Salinópolis, Tracuateua.


O Projeto de Empoderamento e Organização Produtiva de Mulheres Rurais, no Pará, prevê a estruturação de dez unidades de referência para apicultura e meliponicultura (abelhas sem ferrão); de três viveiros para produção de mudas de plantas; aquisição de quatro tendas móveis e de veículo utilitário, e mais cursos de capacitação técnica e aquisição de material para realização de reuniões e eventos das produtoras rurais.

 

Da Redação Fato Regional, com informações de OLIBERAL.COM

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar