Cássio Andrade apresenta projeto de Lei para incluir motoristas de aplicativos e outras categorias no grupo prioritário

Em seu projeto de lei, o deputado visa incluir as categorias com base em um estudo que comprova a maior taxa de mortalidade da covid-19 entre estas atividades.
Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

O Deputado Federal Cássio Andrade protocolou um projeto de lei solicitando a ampliação do grupo prioritário na vacinação da covid-19, para incluir as empregadas domésticas, as diaristas, os trabalhadores da construção civil e os motoristas de aplicativos.

O projeto considera um estudo divulgado pelo Instituto Pólis – uma organização da sociedade civil de defesa do direito à cidade, que foi elaborado baseado em dados da prefeitura da cidade de São Paulo e seguiu o objetivo de identificar como as mortes por covid-19 aconteciam entre diferentes territórios, em diversas atividades profissionais. O estudo comprovou que a maioria das mortes por coronavírus ocorreram em maior quantidade nas periferias da cidade, do que na parte elitizada, sendo justamente trabalhadores da construção civil, empregadas domésticas, diaristas e motoristas de aplicativos um dos grupos mais atingidos, pois necessitam sair às ruas para trabalhar, expondo-se a contatos nos meios de transportes e nos locais onde trabalham.

Segundo o Deputado Federal Cássio Andrade, apesar do estudo ter como referência a cidade de São Paulo, pode ser também uma projeção para entendermos as questões sociais relacionadas à vacinação, em várias regiões do país, incluindo a região norte e para frisar a importância de se incluir tais categorias no grupo prioritário de vacinação, “tem que haver a priorização nestas categorias, a classe econômica mais baixa claramente têm um nível de letalidade maior, por conta de sua condição social, em relação à classe média, principalmente pela falta de escolha, que lhe coloca em exposição diária para cumprir suas atividades funcionais”, afirma.


O projeto de lei protocolado segue em tramitação na Câmara Federal, e aguarda validação para que matéria seja analisada no Congresso.

 

 

Com informações da Ascom da Dep. Cássio Andrade

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar
%d blogueiros gostam disto: