Cerca de 134 mil desempregados no Pará buscam trabalho há mais de um ano

Em relação ao início da crise econômica, em 2014, o contingente nessa situação cresceu 38% - eram 97 mil no início daquele ano.

Cerca de duas a cada cinco pessoas desocupadas no Pará estão há mais de um ano procurando emprego. Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, divulgados ontem (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), são 134 mil paraenses nessa situação, o que corresponde a 30,4% do total de 441 mil desempregados no Estado no 1º trimestre de 2019.

Na comparação com os mesmos três meses do ano passado, houve um aumento de 9 mil pessoas no total de paraenses que estão desempregados há mais de um ano. Em relação ao último trimestre de 2018, foi verificada uma alta de 31 mil pessoas nesse montante. Em relação ao início da crise econômica, em 2014, o contingente nessa situação cresceu 38% – eram 97 mil no início daquele ano.

Do total de desempregados no Pará, a maior parte – 205 mil – está procurando trabalho há mais de um mês e a menos de um ano. Outros 83 mil há mais de dois anos; 51 mil entre um e dois anos; e 102 mil há menos de um mês. Essa população que procura emprego há mais um ano no Pará é equivalente, por exemplo, a quase toda a população do município de Cametá, o 8º mais populoso do Estado (136.390). Já se considerar apenas os paraenses que buscam uma oportunidade no mercado de trabalho há mais de dois anos, esse número se aproxima da 19ª maior cidade do Estado, Redenção, com 83.997 habitantes.

Em todo o País, são 5,20 milhões que procuram emprego há um ano ou mais. Esse grupo representa 38,9% dos 13,4 milhões de desempregados no país. A maioria das pessoas que buscam trabalho estão desempregadas há menos de um ano. Essa parcela da população soma 8,18 milhões de trabalhadores, o que representa 61,1% do total.

Confira o número de pessoas em busca de emprego no Pará, conforme o tempo de procura:

Menos de 1 mês: 102 mil

De um mês a um ano: 205 mil

De um a dois anos: 51 mil


Mais de dois anos: 83 mil

 

 

Fonte: OLIBERAL.COM

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar