Clientes elogiam atendimento prévio da Caixa Econômica em Ourilândia

O horário de atendimento normal das agências bancárias do país, é às 10h. Isso, todo mundo já sabe. Porém, a agência da Caixa Econômica localizada no município de Ourilândia do Norte, sudeste paraense, pensando no conforto, qualidade e agilidade no atendimento de seus clientes, resolveu inovar e, antecipar esse atendimento em até, duas horas.

Segundo o gerente da agência, Luciano Barros, a partir das 8h a agência começa a atender os serviços simples. “Atendemos previamente os clientes na parte de fora da agência, num ambiente climatizado, garantindo o conforto e a segurança de todos. Nesse atendimento prévio, nós, muitas vezes, conseguimos resolver a situação toda, sem que ele precise esperar o banco abrir, com isso, facilitamos o atendimento e o cliente não precisa ficar esperando por muito tempo na agência, podendo ser liberado para seus posteriores compromissos. Caso a situação seja mais específica e precise de um outro tipo de atendimento, encaminhamos o cliente para o setor certo, já com a senha em mãos e ele aguardará a abertura do banco para ser atendido. O importante é que na maioria das vezes, conseguimos realizar todo o atendimento dessa pessoa, sem que ela precise esperar o horário do banco abrir e, com isso, ela não precisa ficar ‘presa’ na agência e pode sair mais cedo”, explica o gerente.

O atendimento é de segunda a sexta e, os clientes saem bastante satisfeitos do local. “Para nós que trabalhamos sempre na correria do dia a dia, não ter que perder tempo numa fila de banco ou esperar até às 10h para ele abrir isso é muito bom. Eu nem precisei esperar e já tô com meu problema resolvido. Fácil e rápido”, comenta Anderson Rodrigues.

Serviços como desbloqueio de cartão, solicitação de senha, FGTS, bolsa família, estão entre os serviços que os clientes conseguem resolver, em sua maioria, sem precisar adentrar na agência.


“Esse atendimento agiliza a vida da gente, desocupa a agente mais cedo, principalmente para quem mora longe como eu, que vim de São Félix do Xingu pra cá pra poder sacar meu FGTS, vou poder ir embora pra casa mais cedo”, ressalta Pablo Lima.

 

Da Redação Fato Regional

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar