Com data para aterrissar no Brasil, Torrent chega ao Flamengo com um dilema

Técnico catalão, que assinou com o Fla até dezembro de 2021, já tem dia e local definidos para desembarcar no Rio. Na bagagem, carrega a dúvida: vai manter o padrão de JJ?

Geralmente, um treinador assume uma equipe quando o anterior é demitido e o trabalho precisa de reformulação – ou até iniciar da estaca zero. O cenário no Flamengo, contudo, é o inverso. Domènec Torrent chega ao Rubro-Negro com a missão de manter um time habituado a empilhar taças e goleadas sob o comando de Jorge Jesus, o seu antecessor. Assim sendo, na bagagem, o catalão carrega o seguinte dilema: manter o padrão tático de JJ ou impor o próprio?

LANCE! já fez uma abordagem prévia do que esperar de Dome à frente do Flamengo, baseado em suas preferências e conhecimentos, adquiridos, sobretudo, em parceria com Pep Guardiola (auxiliado pelo novo treinador do Flamengo no Barcelona, Bayern de Munique e Manchester City).

O seu esquema predileto para atacar (ou o mais utilizado, até então) é o 4-2-3-1 (derivado do 4-3-3 clássico), explorando jogadores de velocidade pelas pontas. Assim como Guardiola, Torrent tem a tendência de utilizar os laterais como apoiadores nos flancos, agudos constantemente.

Além disso, Torrent prioriza um estilo ofensivo no qual, na busca pelo controle da posse de bola e jogo de posição, suas equipes alarguem o campo com extremos de velocidade – e fixos.

Ou seja, modelos quanto à fase ofensiva diferentes em relação ao time de Jesus, que escalava dois atacantes (móveis), dois apoiadores que flutuavam e tinha laterais construindo pela faixa central, muitas vezes.

EXPECTATIVA É POR POUCA ALTERAÇÕES

Diante do apresentado acima, será que Torrent abrirá mão do esquema atual para já estrear no Campeonato Brasileiro – dia 9, contra o Atlético-MG, no Maracanã – com um sistema moldado por suas preferências? Segundo o LANCE! apurou, o departamento de futebol do Flamengo espera, ao menos neste primeiro momento, que o lema “time que está ganhando não se mexe” vire uma tônica, com hipotéticas alterações introduzidas gradualmente.

OPINIÕES VIA ESTADOS UNIDOS

Nos Estados Unidos, Torrent assumiu o New York City FC com outros escopo e cenário. Teve tempo hábil para construir um time à sua maneira e obter um resultado histórico para a franquia (chegar à semifinal da MLS pela primeira vez), mesmo encontrando mais dificuldades do que deve se deparar no Brasil. Ao menos é o que aponta Richard Mendez, analista tático e comentarista da “ESPN” norte-americana:

– A forma de jogar do futebolista americano é com muita velocidade e força. Foi uma adaptação muito difícil para os jogadores do elenco do NYC, principalmente por eles, culturalmente, crescerem jogando apenas de uma maneira. Penso que, pela qualidade que tem o elenco do Flamengo, vai ser muito mais fácil para ele adequar o seu estilo – disse Mendez, ao L!, projetando um horizonte possível de mudanças bruscas no Fla, e emendando:

– O Domènec prioriza a posse de bola, isso é básico no seu trabalho. Depois vem a estratégia para atacar as costas dos rivais. É um mescla interessante para ele explorar, ainda mais com os jogadores rápidos que o Flamengo tem. Eu acredito que tenha sucesso com o controle da bola, podendo mostrar uma versão no Flamengo similar ao estilo de Pep Guardiola. Vocês vão poder observar que vai ser muito parecido… espaço reduzido, posse de bola, muito toque curto e explosão com a velocidade dos extremos, principalmente – completou o venezuelano.

Flávio Pereira, narrador da “DAZN” nos EUA, foi outro profissional da imprensa que acompanhou de perto o trabalho de Torrent no NYC. De acordo com o locutor, o estilo de posse de bola (que pode ser visto com mais detalhes no vídeo abaixo) “atraiu muito o público” da Major League Soccer.

– Ele (Domènec Torrent) teve muito sucesso quando esteve no NYC… Melhorou muito o time com a sua maneira de jogar, estilo ofensivo e bastante posse de bola. Atraiu muito o público este estilo de jogo. Na MLS, muitas equipes jogam com um esquema de ligação direta, que muitas vezes não é um futebol vistoso. Creio que ele vai se dar muito bem no Flamengo – falou, concluindo:

– Não imagino qualquer outro treinador mudando estas características atuais do Flamengo, pela qualidade individual e estilo dos jogadores.

Assista ao vídeo do canal “Patrones de Juego”, no YouTube, onde é exemplificado o estilo de jogo do NYC de Dome:

A ver se a última frase de Flávio Pereira se confirmará, ou se o elenco do Flamengo terá que se adaptar a um modelo à la Guardiola, de chofre.

O CURRÍCULO DE DOME

Como auxiliar técnico (sempre com Guardiola)

  • Barcelona B (ESP) – 2007/08;
  • Barcelona (ESP) – 2008/09 a 2011/12;
  • Bayern de Munique (ALE) – 2013/14 a 2015/16;
  • Manchester City (ING) – 2016/17 e 2017/18

Como treinador

  •  Palamós (ESP) – 2003/04;
  • Girona (ESP) – 2005/06;
  • New York City (EUA) – 2018 a 2019

Títulos (todos como auxiliar)

  • Liga dos Campeões da Uefa (2);
  • La Liga (3);
  • Campeonato Inglês;
  • Copa do Rei;
  • Supercopa da Espanha (3);
  • Copa da Liga da Inglaterra;
  • Campeonato Alemão (3);
  • Copa da Alemanha (2);
  • Mundial Interclubes (3);
  • Supercopa da Uefa (3)

 

Fonte: LANCE!

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar
%d blogueiros gostam disto: