Construção de ferrovia no Pará avança

Segundo o governo, a ferrovia vai trazer um grande crescimento, principalmente no escoamento de produtos e na verticalização da indústria paraense.
Foto: Divulgação

Representantes das Secretarias de Estado de Planejamento e Administração (Seplad), Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), Instituto de Terras do Pará (Iterpa) e da empresa Vale se reuniram, na última quinta-feira (02), para discutir mais um passo no projeto de construção da Ferrovia do Pará.

Segundo o governo, a ferrovia vai trazer um grande crescimento, principalmente no escoamento de produtos e na verticalização da indústria paraense.

O estudo de execução da obra avalia a viabilidade do tronco principal do projeto, que deve ter 515 km de extensão, passando pelos municípios de Abaetetuba, Acará, Barcarena, Moju, Tailândia, Abel Figueiredo, Dom Eliseu, Ipixuna do Pará, Paragominas, Rondon do Pará, Tomé-Açu e Bom Jesus do Tocantins.

“Fizemos uma reunião com todo o time do Governo, junto com a equipe da empresa Vale. Colocamos em pauta a construção da Ferrovia do Pará, bem como, a criação de grupo de trabalho determinado em dar seguimento nas próximas etapas para a entrega da ferrovia à população do Pará”, disse José Fernando Gomes Júnior, secretário de Desenvolvimento Econômico, Minério e Energia do Pará (Sedeme),

Com a construção da obra da Ferrovia do Pará, municípios como Marabá, Bom Jesus do Tocantins, Paragominas e Barcarena devem receber os terminais multimodais para recepção de cargas. Os outros municípios que demonstrarem viabilidade técnica e econômica poderão ser incluídos no projeto.


Uma reunião com a Procuradoria Geral do Estado (PGE), junto com representante da Vale, está agendada para o reconhecimento da área onde ocupará o porto da Ferrovia do Pará.

 

 

 

 

 

 

Com informações da Agência Pará

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar