Corpo de paraense foi identificado neste domingo e será cremado

Cinzas de paraense vítima da tragédia em Brumadinho deve chegar no Estado até a próxima quarta-feira (6).
Lenilda Cavalcante Andrade, que tem familiares em Parauapebas-PA, está entre os 265 nomes de pessoas sem contato, até o momento, após rompimento da barragem da Vale, em Brumadinho - MG. (Foto/Reprodução/Facebook)

Até a próxima quarta-feira (6), deve chegar ao Pará, a família de Lenilda Cavalcante Andrade, de 36 anos, paraense vitimada após o rompimento da barragem da empresa Vale, localizada na cidade de Brumadinho (MG). Com eles virá, para Parauapebas, as cinzas da paraense.

Neste domingo (3), o técnicos do Instituto Médico Legal (IML) em Minas Gerais, confirmaram, por meio de exame de DNA, o óbito de Lenilda. A opção pela cremação, mesmo não sendo da vontade da família, foi necessária por conta do estado do corpo da paraense. Em Minas, estão o pai e a mãe de Lenilda, desde a semana passada.


Em nota, o Governo do Pará lamentou, neste domingo (3), a morte da paraense e afirmou que desde os primeiros dias da tragédia, acompanha o caso e articula esforços entre Defesa Civil e o Centro de Perícias Técnicas Renato Chaves no Pará, com os órgãos de Minas Gerais com o intuito de dar apoio aos parentes da vítima.

Lenilda era Técnica em Planejamento e trabalhava há 10 anos como empregada da Mineradora. Natural de Tucuruí, ela começou na Vale em Parauapebas, nordeste do Estado, e há quase três anos foi trabalhar no setor administrativo da Mina Do Feijão, em Brumadinho (MG). Lenilda deixa um filho de 16 anos.

Fonte: OLIBERAL.COM

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar