Covid-19 no Marajó: falta de UTI é agravante em alguns municípios

De acordo com a Sespa, foram registrados 1.026 casos de covid-19 no Marajó. Desse total, 101 vieram a óbito
Foto: Marcos Santos/Ag. Pará

O avanço do novo coronavírus para o interior do Pará virou um desafio mediante a falta de estrutura de muitos municípios. Na Ilha do Marajó, onde a falta de leito de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) é um agravante em muitos hospitais, já foram registrados 1.026 casos de covid-19 até a noite desta quinta-feira (21), de acordo com o boletim da Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa). Desse total, 101 pessoas já vieram a óbito em decorrência da doença. O município de Breves é o mais atingido, com 420 casos e 50 óbitos.

De acordo com o presidente da Associação dos Municípios do Arquipélago do Marajó (Amam), Jaime da Silva Barbosa, no início desta semana, em reportagem do Grupo Liberal sobre os casos de coronavírus que avançam no Marajó, a dificuldade no enfrentamento à doença é muito grande pela logística e pelas questões financeiras.

“Aqui, temos os piores IDHs (índices de desenvolvimento humano) não só do Pará, mas do Brasil. Isso tudo faz com que as dificuldades sejam muito maiores”, destacou.

“Sala de UTI, por exemplo, você só vai encontrar em Breves, onde tem o hospital de campanha, inaugurado essa semana pelo governador, e o hospital regional. Nos demais municípios, não existe sala de UTI”, acrescentou Jaime.

Hospitais de campanha

No dia 11 de maio, o Governo do Pará entregou o Hospital de Campanha do município de Breves, referência para mais de 318 mil habitantes da região marajoara, atendendo pacientes dos municípios de Anajás, Bagre, Curralinho, Gurupá, Melgaço e Portel. Ao todo, são 60 leitos (56 clínicos e quatro de estabilização) e 130 funcionários, entre médicos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e da área administrativa.

Na noite desta quinta-feira, a Sespa informou que, em quase dez dias de atendimento, o Hospital de Campanha de Breves já atendeu 24 pacientes com covid-19. Dois deles foram transferidos e dez receberam alta.

No sábado (16), o governador do Pará, Helder Barbalho, assinou convênio com a prefeitura de Soure para instalação do Hospital de Campanha, que irá atender a população da região do Marajó Oriental. Serão 60 leitos, sendo 50 leitos clínicos e 10 Unidades de Terapia Intensiva (UTI).

O governo do Estado adquiriu 130.727 mil cápsulas de azitromicina, 90.858 mil de hidroxicloroquina e 114.025 mil de cloroquina, que já estão sendo distribuídas aos municípios do interior do Estado para a possibilidade de uso por pessoas com sintomas ou diagnóstico confirmado de covid-19.

Segundo o governador Helder Barbalho, que anunciou a ação no início da noite desta quinta-feira (21), em vídeo postado nas redes sociais, a prioridade de envio, neste primeiro momento, são os 30 municípios apontados pelo monitoramento Sespa que apresentam cenário de subida do número de infectados.


Dentre eles, 15 são do Marajó: Breves, Portel, Muaná, Melgaço, Anajás, Chaves, Soure, Cachoeira do Arari, Salvaterra, Bagre, Ponta de Pedras, Gurupá, Curralinho, São Sebastião da Boa Vista e Afuá.

 

 

Fonte: O Liberal

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar
%d blogueiros gostam disto: