Criança de 1 ano é morta a facadas durante briga em Parauapebas

Pai do menino e um outro homem estavam brigando quando um deles teria usado o bebê como escudo.

O bebê Alisson Andrade Silva, de apenas um ano de idade, foi morto a facadas na noite deste domingo (04) em Parauapebas, durante uma briga entre seu pai e outro homem.

Era por volta de 23h30 quando segundo a Polícia Militar, eles foram acionados pelo Hospital Municipal para atender à ocorrência. O bebê, que morava com a família na Comunidade de Cajazeira, morreu com duas perfurações de faca quando deu entrada no hospital.

O pai da criança, Antonisio Moreira da Silva, disse á polícia que um homem chamado Emivaldo Costa tentou invadir a casa de seu vizinho, momento em que o  Antonisio tentou impedir e Emivaldo partiu para cima dele. O homem pegou o bebê e falou que iria matar a criança, desferindo dois golpes de faca na região das costas de Alisson. Ao tentar salvar o filho, Antonisio foi ferido com uma perfuração no peito.

Aproximadamente uma hora depois, Emivaldo também deu entrada no Hospital Municipal, e a Polícia Militar se deslocou novamente ao centro médico. Lá, o homem acusado de matar o bebê disse à polícia que foi até a residência de Antonísio cobrar uma dívida de um empréstimo do pai da criança. Chegando no local, houve um desentendimento, com com golpes de faca de ambas os envolvidos. Neste momento, a criança foi atingida nas costas. Segundo Antonisio, Emivaldo usou a criança como escudo. Todos esses relatos estão registrados em boletim de ocorrência.


Os dois acusados estavam feridos e foram conduzidos por populares até o Hospital Municipal de Parauapebas: Emivaldo estava com uma lesão no ombro provocada por arma branca e três caroços de chumbo na região abdominal, provocado por perfuração com arma de fogo do tipo espingarda, como foi comprovado  por raio-x. Ele disse à polícia que não sabe como ocorreu a lesão do tiro. Já Antonísio teve uma perfuração no tórax. Os dois passaram por uma cirurgia e uma equipe da Polícia Militar se manteve no local, fazendo o acompanhamento dos acusados até receberem alta e serem apresentados na Delegacia de Polícia Civil.

 

 

Fonte: OLIBERAL.COM

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar