De origem dos Estados Unidos, Black Friday começa oficialmente nesta sexta-feira, 27

Crédito: Reprodução/ Agência Brasil

A época de descontos em produtos de diversos setores comerciais chegou. A Black Friday, período de promoções por lojas de varejo, programado para ser realizado nesta sexta-feira, 27, surgiu nos Estados Unidos e chegou ao Brasil movimentando o comércio.

O consultor financeiro Rogério Moura explica que o período dava início às compras de Natal, sempre um dia depois ao feriado de Dia de Ação de Graças. Ele conta que há duas origens, uma delas originária na Filadélfia, nos anos 90. “Era onde havia muitos veículos automotores que iam ao centro da cidade para fazer as suas compras. Isso formava um trânsito louco, onde esses carros acabavam deixando marcas no próprio asfalto de tanto veículo que ia para lá. E a própria polícia e a organização do trânsito começaram a denominar a famosa ‘sexta-feira negra’, visto que havia um tumulto muito grande dentro desse comércio”, explicou.

E o termo “Black Friday”, apesar dele ter na composição o nome que significa ‘sexta-feira negra’ tem um cunho sim positivo, relacionado justamente a descontos e promoções e à própria queima de estoque, segundo Rogério.

Compras no Brasil

O consultor analisa que a Black Friday deste ano será diferenciada por conta da pandemia devido às queimas de estoques. “Teremos várias empresas querendo colocar o seu produto à venda. É um período muito bom para fazer compras, sim, mas o consumidor em algumas situações. Por exemplo, se o consumidor foi fazer compras pela internet, é importante verificar se um site é blindado, que não há riscos pois você vai estar inserindo informações importantes para a compra e saber se o site é realmente confiável”, recomenda Rogério.

Verificar se realmente um determinado site cumpre os prazos de entrega também é uma dica do consultor. “Existe um site chamado ‘Reclame Aqui’ que é possível verificar as reclamações de consumidores diante de determinados site. Verifique também o preço do produto. Existem muitas táticas que são maliciosas por pessoas que estão vendendo esse produto, no qual a empresa aumenta o valor do produto em novembro. Quando for em dezembro, o produto fica no valor que estava inicialmente. Então é preciso fazer uma pesquisa”, declara. O consumidor deve garantir os seus direitos registrando golpes em canais de denúncias.


Não cair na empolgação também é uma dica de Rogério. “É necessário ver se você tem recursos para cumprir a compra. De repente se você vê uma promoção de um produto que você queria muito, mas que você vai parcelar de dez vezes isso não valerá a pena, porque isso vai comprometer os orçamentos futuros. É um momento de agir pela razão e não pela emoção”, conclui.

 

Fonte: Roma News

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar
%d blogueiros gostam disto: