domingo, 3 de março de 2024

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

Em Brasília, prefeito João Cleber e deputado Torrinho mobilizam esforços em busca de soluções para famílias da Apyterewa

Cerca de 2 mil famílias seguem em um drama social sem saber o que fazer e para onde ir, enquanto o processo de desintrusão chega ao terceiro dia, em São Félix do Xingu, no sul do Pará
O prefeito João Cleber, o deputado Torrinho, o deputado Braz e o procurador-geral Walter Wendell foram ao Congresso Nacional em busca de apoio para mitigar o sofrimento das 2 mil famílias da Apyterewa (Foto: Ascom / PMSFX)

Em Brasília, o prefeito de São Félix do Xingu, João Cleber (MDB), e o deputado estadual Torrinho Torres (Podemos) seguem na mobilização de esforços e busca de soluções para a angústia de cerca de 2 mil famílias que vivem na extensão Apyterewa. A operação de desintrusão da área chega nesta quarta-feira (3) ao terceiro dia, com retratos de um drama social de produtores rurais e comerciantes, idosos e crianças — pessoas que seguem sem perspectiva do que fazer se perderem o local onde vivem.

Na busca por apoio, João Cleber e Torrinho foram ao Congresso Nacional para sensibilizar deputados e senadores sobre a tensão que paira na Apyterewa. Há esforços na busca por agendas com pastas do Governo Federal para tratar do assunto. Entre as muitas propostas estão mais prazo para o processo ser concluído, recadastramento e ações sociais, indenizações e apoios de realocação. Há ainda uma proposta de Torrinho para revisão do tamanho do território que será destinado ao povo indígena Parakanã.

João Cleber e Torrinho estão acompanhados do procurador-geral do município de São Félix do Xingu, Walter Wendell Carneiro da Costa, e do deputado estadual Ivanildo Braz (PDT). Num recado divulgado na tarde desta quarta-feira (4), o prefeito disse que a comissão segue sem medir esforços na busca por uma solução que evite, de forma legal, o sofrimento de pessoas e animais que só recebem ordens de saída imediata e sem escuta.

“Estamos pedindo apoio para que as coisas se normalizem em nossa região. Estamos vivendo um momento muito difícil e de tensão. Mas espero poder contar com a sensibilidade e bom senso dos deputados, senadores, do Governo Federal e seus ministérios e do Poder Judiciário — de todos os envolvidos nesse processo — de que poderemos sair daqui de Brasília com resultados positivos”, declarou o prefeito João Cleber.

Pelos estudos da Fundação Nacional dos Povos Indígenas (Funai) e Ministério dos Povos Indígenas, a extensão Apyterewa tem 774 mil hectares que deverão ser preservados e de uso exclusivo do povo Parakanã, que atualmente tem menos de 1 mil pessoas na área. Na proposta de Torrinho, 260 mil hectares poderiam ser reservados para as famílias que atualmente vivem na região. Todo o restante seria dos povos indígenas. Assim, os direitos de todos seriam preservados e sem conflitos ou retirada de não indígenas.

(Da Redação do Fato Regional)


LEIA MAIS, NO FATO REGIONAL:

Siga o Fato Regional no Facebook e no Instagram!