Feminino de vôlei do Brasil enfrenta a Turquia nesta quarta pela Liga das Nações

Foto: Gaspar Nóbrega/COB

Nem só de futebol o brasileiro vive. Aos amantes do bom voleibol, a Liga das Nações (VNL) tem deixado um gostinho de expectativa para o Mundial de Paris 2024. E, as meninas do vôlei de quadra da Seleção Brasileira, passaram a primeira fase da Liga das Nações, realizada no final de maio e início de junho, perdendo apenas para os Estados Unidos, que jogava em casa e, também perdeu para o Japão.

Não vai ser fácil. Mas a seleção está mais do que preparada. A partir de hoje, 14, Brasília recebe a segunda etapa da Liga das Nações. Jogando em casa, e diante do retorno de sua torcida, as meninas do vôlei encaram nesta fase: Turquia, Holanda, Itália e Sérvia, nada menos que as quatro semifinalistas do Campeonato Europeu de 2021. Todas as partidas acontecem no ginásio Nilson Nelson, com ingressos à venda pelo site: https://www.eventim.com.br/artist/vnl/ .

 

O técnico José Roberto Guimarães, campeão olímpico pela seleção e prata em Tokyo no ano passado, montou um time quase que 100% renovado. Mas, para esta segunda fase, o público traz a expectativa de ver em quadra a oposta Rosamaria Montebeller, que foi destaque nas Olimpíadas em Tokyo no jogo contra Rússia e garantiu a classificação da equipe para a semifinal contra a Coréia e, com a ponteira Gabi, que tem brilhado no vôlei turco e é a grande aposta de Zé Roberto.

“Teremos uma semana importante, com quatro jogos difíceis. Logo na estreia, enfrentaremos a Turquia, equipe que está jogando junta há alguns anos, com certa experiência e que conhece muito bem algumas de nossas jogadoras. Depois enfrentaremos a Holanda, que está se renovando e conta com atletas que conhecemos, como a Anne, que joga no Brasil. Na sequência, teremos a Itália, que vem com a Egonu; e encerraremos contra a Sérvia. Serão jogos extremamente difíceis, contra equipes que têm o mesmo nível que nós. Vamos ter que correr bastante. Ainda estamos fazendo ajustes no sistema defensivo, com a relação bloqueio-defesa, e com a transição de jogo, que teremos que fazer com muita velocidade. Estes jogos são para evoluir, ganhar mais experiência, principalmente as jogadoras mais jovens”, analisa Zé Roberto.

O Brasil segue na sexta posição na classificação da Liga Mundail, com 9 pontos e três vitórias. “É muito importante jogarmos com o público de Brasília ao nosso lado. A torcida já compareceu nas finais da Superliga Feminina e apoiou muito a seleção masculina na semana passada. Teremos bons jogos pela frente e a torcida vai nos ajudar muito em cada um deles”, diz o treinador do Brasil.

Para a segunda etapa da Liga das Nações, Zé Roberto selecionou as levantadoras Macris e Roberta; as opostas Rosamaria e Kisy; as centrais Carol, Diana, Lorena e  Júlia Kudiess; as ponteira Gabi, Pri Daroit, Julia Bergmann e Ana Cristina; e as líberos Natinha e Nyeme.


A VNL reúne as 16 melhores seleções de voleibol do mundo. Este ano, a competição acontece em duas fases. A primeira tem três etapas. Em cada uma, as equipes são divididas em dois grupos e cada uma joga quatro vezes. Os grupos e os confrontos de cada semana são definidos através de um sorteio. Os oito melhores desta fase avançam para a fase final, que será realizada de 13 a 17 de julho, em Ancara (Turquia).

A seleção brasileira joga nesta quarta-feira, 15, às 21h (horário de Brasília) contra a Turquia. A partida será transmitida pelo SporTV 2.

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar