Fontenelle detona Juliette sobre xenofobia: ‘vai estudar’

Foto: Reprodução/Instagram

A apresentadora Antonia Fontenelle utilizou suas redes sociais para fazer críticas à ex-BBB20, Juliette, sobre o desabafo da artista que teria dito que pode ter sido reprovada em um teste de dublagem por causa de seu sotaque nordestino. Isso porque, um estúdio de dublagem teria pedido que a cantora neutralizasse o seu sotaque.

Para Fontenelle, Juliette tem costume de acusar todo mundo de xenofobia.

“Você quer passar na frente, furar a fila. Vai estudar, pé no s@**. Tem uma moça, ex-BBB, que insiste em ser atriz, cantora, sei lá o quê, sem estudar. Juliette e sua mania de acusar todo mundo de xenofobia. Ela, inclusive, me arrumou um problema muito grande com essa palhaçada. Ela foi fazer um teste de dublagem para um filme com projeção internacional, chegou lá e pediram para neutralizar o sotaque. Mais do que normal. E ela foi acusar a produção de xenofobia”, comentou Antonia.

Fontenelle ainda citou o caso da atriz Susana Vieira que precisou fazer sotaque nordestino para viver sua personagem na novela Senhora do Destino (2004).

“Ela é carioca e fez a Maria do Carmo, que era nordestina. Quando pediram para fazer o sotaque nordestino, ela não foi acusar o Aguinaldo Silva [autor] e os diretores da novela de xenofobia. Te manca, vai estudar e para de ficar acusando as pessoas de xenofobia. Existe uma coisa chamada perfil de personagem, que é importante que você entenda. O sotaque era nordestino? Não, não era. Se fosse, não teriam pedido para você neutralizar. Isso não tem a ver com xenofobia, tem a ver com arte, coisa que você desconhece. Sabe por quê? Você quer passar na frente, quer furar a fila. Vai estudar, pé no s@**. Isso que você é”, disse.

Desabafo


O desabafo feito pela ex-BBB sobre o episódio de dublagem aconteceu na última sexta-feira, 10, através das redes sociais. Segundo Juliette, ela teria sido chamada para fazer a dublagem de um filme, mas teria recebido um pedido para neutralizar o seu sotaque. Sem aceitar a mudança, ela então, teria sido reprovada no teste.

“Esse exemplo que eu dei foi só um de vários outros. Tem a questão de encarar o sotaque nordestino de uma forma caricata e rir, tem a questão dos meus amigos não conseguirem alugar um imóvel. A mensagem que quis deixar foi a seguinte: xenofobia existe, sim, e ela está enraizada na nossa cultura. A gente precisa questionar”, contou Juliette, na ocasião.

Com informações do Notícias da TV
Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar