França tem dois dias de caos após morte de jovem negro em abordagem de trânsito; policial pode ser preso

O rapaz de 17 anos furou uma blitz e foi baleado. Mais de 150 pessoas foram presas após protestos contra a polícia que já duram dois dias e polícia reforça contingente nas ruas para encerrar manifestações.
A França mobiliza mais de 40 mil policiais para encerrar os protestos em Nanterre e Paris (Foto: Twitter @DevreeseEliott)

A morte de um jovem negro, de 17 anos, numa blitz de trânsito, deu início a uma onda de protesto na França. Policiais entraram em confronto com manifestantes na área periférica de Nanterre, a 15 km de Paris. Mais de 150 pessoas foram presas em meio aos tumultos nas ruas.

Há dois dias, o rapaz identificado como Nahel passou foi abordado e uma discussão começou. Ele tentou fugir, foi baleado e perdeu o controle do carro. Bateu o veículo e morreu. O presidente da França, Emmanuel Macron, considerou o crime como “imperdoável” e “inexplicável”.

O policial que fez o disparo pode ser preso a qualquer momento. Até lá, o governo francês anunciou que vai mobilizar cerca de 40 mil policiais para encerrar os protestos nas ruas, que já causaram prejuízos incalculáveis enquanto os manifestantes criticam o racismo estrutural da polícia.


(Da Redação do Fato Regional)

NOS SIGA NO FACEBOOK E NO INSTAGRAM!

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar