Governo do Pará propõe a criação de batalhão rural para fortalecer a segurança no campo

Projeto de lei será encaminhado à Alepa para implantação de bases nos municípios de Marabá e Castanhal
Foto: Ronan Frias / Semas

Monitoramento, rastreamento e garantia da proteção em propriedades rurais das regiões sul, sudeste e nordeste paraense estão entre os objetivos para a criação do batalhão rural da Polícia Militar, proposta do Governo do Pará, que quer intensificar a segurança no campo. O projeto de lei para a estabelecer duas unidades, nos municípios de Marabá e Castanhal, será encaminhado à Assembleia Legislativa do Pará (Alepa).

“Nós estamos aprimorando os serviços de segurança, levando em consideração as peculiaridades de cada região, levando segurança para as áreas urbanas, mas também para as áreas rurais. O batalhão rural será criado para que nós possamos garantir o direito à terra, à segurança jurídica e a paz no campo para o estado”, disse o governador do Pará, Helder Barbalho.

Há 25 anos, o pecuarista Gilberto Brito tem uma fazenda em São Domingos do Capim, nordeste do estado, região de abrangência da futura base em Castanhal. Para o produtor, o novo serviço responde à uma demanda antiga da categoria.

“O policiamento em áreas rurais é extremamente importante para dar segurança para quem trabalha no campo. Há anos, nossos sindicatos de produtores rurais esperavam por essa iniciativa que vai ao encontro, ao anseio do agronegócio paraense”, comemorou o pecuarista.

foto: Marco Santos / Ag. Pará

A nova estratégia de segurança pública atenderá as regiões sul, sudeste, e nordeste do Pará. As propriedades rurais serão classificadas e identificadas para facilitar o trabalho da polícia em caso de ocorrências, como explica Ualame Machado, secretário de Segurança Pública e Defesa Social.

“Vamos catalogar todos os equipamentos, todos os itens da propriedade para que se houver algum incidente, algum acionamento, nós saibamos do que se trata, o que foi furtado ou roubado e como o incidente ocorreu. Essa é uma estratégia que já é adotada no estado de Goiás. O Pará já começa com dois batalhões para que a gente possa dar uma atenção especial as áreas rurais, para poder atuar preventivamente, evitando conflitos e crimes agrários. E em caso de ocorrência nessas regiões, ter uma tropa especializada com equipamentos especializados”, esclareceu o titular da Segup.

A Federação da Agricultura e Pecuária do Pará (Faepa) destaca que o serviço especializado de policiamento vem atender especialmente áreas de difícil acesso e distantes da sede municipal.


“Até então, o produtor rural contava, exclusivamente, com o policiamento existente em áreas urbanas. Agora, a segurança nos municípios passará a contar com a implantação de um modelo de segurança preventiva e repressiva na área rural, principalmente com a implantação de policiamento especializado no combate à prática de crimes nas propriedades e comunidades rurais, o que, certamente, contribuirá para a redução da criminalidade”, ressaltou Carlos Xavier, presidente da Faepa.

 

 

 

 

 

 

Com informações da Agência Pará

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar