Homem envolvido em esquema milionário de tráfico de drogas é preso em Santarém

Em cumprimento a um mandado de prisão preventiva, a Polícia Civil do Pará prendeu Rosivaldo de Sousa Moura, indiciado em inquérito policial para apurar os crimes de tráfico e associação para o tráfico de drogas. A ordem judicial foi cumprida em Santarém, no oeste paraense, pela equipe de policias civis do Núcleo de Apoio à Investigação (NAI) da região do baixo e médio Amazonas, durante a terceira fase da operação denominada “Washed Bread” (Pão lavado em inglês). Além dos crimes de tráfico e associação para o tráfico, a operação é resultado de investigações dos crimes de peculato, lavagem de dinheiro, falsidade ideológica e associação criminosa, em Santarém e no Estado do Amazonas.

A investigação foi presidida pelo delegado Rafael Augusto de Andrade, do NAI, que indiciou 21 pessoas, entre traficantes de drogas, empresários e agentes políticos, e resultou nas prisões de dez acusados até o momento. A operação é decorrente de investigações para combate ao tráfico de drogas e lavagem de dinheiro na região de Santarém, que foram iniciadas há oito meses, com alvos nas cidades paraenses de Santarém, Belterra e Monte Alegre; e em Manaus e Tabatinga, no Amazonas.

As investigações constataram a existência de contas bancárias em Tabatinga e em Santarém com movimentos financeiros superiores a R$ 25 milhões em um curto período. As contas receberam remessas de dinheiro feitas por envolvidos com o tráfico de drogas condenados no Estado do Pará e suspeitos de tráfico, associação para o tráfico e lavagem de dinheiro.

O início

A primeira fase da operação foi deflagrada no dia 12 de novembro de 2018, quando foram cumpridos 31 mandados judiciais, entre buscas e apreensões e prisões preventivas expedidos pelo juiz Rômulo Nogueira de Brito, da 2ª Vara Criminal da Comarca de Santarém. A ação policial contou ainda com apoio de agentes da Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência (SEAI) do Amazonas. Ao todo, quatro prisões em flagrante foram efetuadas e foram apreendidas cocaína, munição e bens móveis, como veículos, entre outros objetos. No total, 55 policiais civis estiveram em atuação na primeira fase da operação para dar cumprimento aos mandados judiciais.


Ainda na primeira fase, houve o sequestro de bens e de ativos financeiros, o que resultou em oito prisões preventivas; no cumprimento de uma medida cautelar, e três autos de prisão em flagrante por tráfico e associação para o tráfico e posse de munição de uso permitido. Houve ainda apreensões de quantidades de drogas e munições e veículos automotores. Na segunda fase da operação, deflagrada no dia 14 de novembro do ano passado, uma pessoa foi presa na cidade de Monte Alegre, oeste do Pará.

 

 

Fonte: OLIBERAL.COM

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar