Irmãs são presas no município de Breves por torturar adolescente

As irmãs Elcione Pimentel Castor e Nilene Pimentel Jardim Castor foram presas, em Breves, na Ilha do Marajó, acusadas de terem torturado uma adolescente de 17 anos. Segundo a Polícia Civil, as duas são acusadas, juntamente com a mãe delas, Marlene Pimentel Castor, e um homem identificado como Edileno Câmara de Oliveira, de praticar violência física e psicológica contra a menor para que a vítima confessasse uma suposta relação extraconjugal com o marido de Marlene. As prisões foram realizadas após divulgação de um vídeo, por meio de grupos de aplicativo de mensagens via telefone celular, em que a adolescente aparece sendo agredida pelas acusadas.

Segundo a delegada Vanessa Macedo, titular da Superintendência da Região do Marajó Ocidental, o vídeo foi gravado na tarde do último dia 29 e estava circulando nas redes sociais. Nas imagens, a menor é vista sendo agredida fisicamente. Os agressores chegam ao ponto de cortar os cabelos da adolescente.

Assim, a equipe policial formada pelo delegado Esli Gomes, investigadores Fernandez, Neto e Robson, e escrivão Hyago, saíram em diligência pelo município durante todo o dia, até prender as irmãs. Durante a apuração do crime, os policiais civis constataram que a filhas, mãe e Edileno Camara de Oliveira, conhecido da família, foram os responsáveis pela tortura da adolescente, que teve cortes em seus cabelos e agressões a socos. “Os agressores chegaram a ponto de colocar um cachorro da raça pitbull perto da vítima apenas para praticar violência física e psicológica com ela”, apurou a delegada.


De acordo com as presas o crime foi motivado pela desconfiança da mãe, que acusava a adolescente de manter um relacionamento extraconjugal com o marido de Marlene. “Cabe ressaltar que as diligências continuam para realizar a prisão de Marlene e Edileno, que estão em paradeiro incerto e não sabido. As duas foram indiciadas pelo crime de tortura e estão recolhidas à disposição da Justiça”, salientou a delegada.

 

(Com informações da Polícia Civil)

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar