Líder da Al Qaeda é morto durante ataque dos EUA no Afeganistão, confirma Joe Biden

Foto: Reprodução/Twitter @joebiden

Foi morto no último final de semana, o líder da Al Qaeda, Ayman al-Zawahiri, durante um ataque dos Estados Unidos no Afeganistão, segundo confirmou hoje, 1º, o presidente norte-americano, Joe Biden, no maior golpe para o grupo militante desde a morte do seu fundador, Osama bin Laden, em 2011.

Zawahiri, que era cirurgião egípcio, tinha uma recompensa no valor de US$ 25 milhões pela sua cabeça, foi quem ajudou a coordenar os ataques do 11 de setembro de 2001, responsável pela morte de quase 3 mil pessoas nos EUA.

Autoridades norte-americanas afirmaram que os EUA realizaram um ataque com uso de drone na cidade de Cabul, capital afegã, às 6h18 no horário local. “Agora a justiça foi feita e esse líder terrorista não existe mais”, disse o presidente Joe Biden durante uma declaração na Casa Branca. “Nós nunca recuamos.”

A inteligência dos EUA assegurou que o morto era Zawahiri, segundo informou um alto funcionário do governo a repórteres. Não houve nenhuma outra vítima durante o ataque.

“Zawahiri continuava a representar uma ameaça ativa às pessoas, aos interesses e à segurança nacional dos EUA”, disse o funcionário através de teleconferência. “Sua morte é um golpe significativo para a Al Qaeda e degradará a capacidade de operação do grupo.”

O ataque com uso de drone é o primeiro que acontece sob conhecimento dos EUA no Afeganistão desde que tropas e diplomatas dos EUA deixaram o país no mês de agosto do ano passado.


A operação deve reforçar a confiança e credibilidade das afirmações de Washington que alega que os Estados Unidos ainda devem enfrentar ameaças dentro do Afeganistão sem a presença militar no país.

Através de um comunicado, o porta-voz do Taliban Zabihullah Mujahid confirmou o ataque e o condenou veementemente, classificando-o como “violação de princípios internacionais”.

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar