Pará registra queda de 48% em crimes violentos nos cinco primeiros meses de 2022

Foto: Pedro Guerreiro/Agência Pará

A política amparada no tripé do investimento, inteligência e integração, o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), vem imprimindo bons resultados: é o que aponta dados da Secretaria Adjunta de Inteligência e Análise Criminal (Siac), vinculada à Segup. Segundo dados apresentados na última segunda-feira (06), os cinco primeiros meses de 2022 assinalam queda de aproximadamente 48% em relação a 2018 nos índices de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), que reúnem os crimes de homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte.

No acumulado de 2022, de 1º de janeiro a 5 de junho, foram computados 971 casos de CVLI, demonstrando uma redução de 6,36% ao mesmo período de 2021, quando foram contabilizados 1.037 registros. Na capital, onde o Sistema de Segurança Pública tem realizado diversas operações diuturnamente e executado estratégias de policiamento ostensivo, houve uma queda de 14% no período analisado. Quando comparado ao mesmo período de 2018, Belém registra uma queda de 75,7%.

O empenho das forças nas ruas, a realização de investigações e os investimentos em estruturas, equipamentos e efetivo são a razão dos números positivos, elenca o secretário de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado.

“Muito já foi feito e muito mais até final do ano será feito. Desde o começo da atual gestão sempre trabalhamos para mudar o cenário da segurança no Estado e com muito esforço estamos fazendo. Isso é atestado por organismos de pesquisa e estudos que comparam os indicadores de crimes cometidos no país”, ressaltou.

Vida preservadas

No período considerado pela Siac, a atuação do Estado colaborou com a  preservação de 826 vidas na comparação de 2022 com 2018 já que em homicídios, o Estado, pela terceira vez seguida, apresentou números abaixo de 1.000. Em 2022, foram 931 homicídios computados no Pará, o que representa uma queda de 47% em relação a 2018 que registrou 1.757 ocorrências.

Nos dados de latrocínio, também acompanhado de perto pela Segup, o Pará obteve dados positivos. No período considerado, foram 29 latrocínios contabilizados em 2022, registrando uma queda de quase 50% (48,21%) em relação a 2021 e de quase 70% (69,15%) se comparar com 2018.

O atual cenário, avalia  Ualame Machado, é reflexo de estratégias desencadeadas em todo o estado, que vêm promovendo a integração das forças e colaboração da agências nos delitos que atingem a população. “A forte atuação do Estado frente aos principais problemas que atingem a população paraense refletiu nos números”, assinala.

“Tanto na capital como no interior, esta integração é vista através de projetos como o ‘Segurança Por Todo o Pará’, que descentraliza a gestão, como nas operações ‘Impacto’, que reúnem todos os órgãos e que no último mês apreendeu 150 tabletes de entorpecentes, do tipo cocaína, avaliados em cerca de 3 milhões de reais, o que acarreta prejuízo ao crime organizado”, completa o titular da Segup.

Outros números

Além de CVLI, outros crimes específicos, como roubos e furtos, apresentaram redução ininterrupta no período de 01 de janeiro a 5 de junho dos últimos anos.


Os casos de roubos sofreram queda de 49,9% em relação ao mesmo período em 2018, com 24.750 casos a menos em todo o Estado. Em 2018, foram 49.594 registros computados; em 2019, 37.718; em 2020, 25.832 casos, e em 2022, 24.844 registros.

Os furtos também diminuíram, já que em 2018 foram computados 49.201 casos, e neste ano 33.770, com 15.431 casos a menos – uma redução de 31.3%. Nos anos de 2019, 2020 e 2021 foram registradas 51.736, 37.838 e 34.118 ocorrências, respectivamente.

Fonte: Agência Pará 
Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar