Pará ultrapassa 11 mil mortos por covid-19. Brasil volta a registrar mais de 4 mil mortes em 24 horas.

Um novo recorde negativo de vidas perdidas na pandemia é batido no Brasil. Ocupação de leitos de UTI no Pará continua acima de 80%
(Foto: Alex Pazuello / Semcom / via Fotos Públicas)

O Brasil registrou 4.249 mortes por covid-19 num período de 24h, como mostra o painel do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), nesta quinta-feira (8). Um novo recorde de mortes. E ainda 86.652 casos em 24 horas. Com isso, o país tem um total de 13.279.857 casos positivos da doença letal do coronavírus SARS-CoV-2. O total de mortos é de 345.025, maior que a população somada de São Félix do Xingu, Ourilândia do Norte e Tucumã. Para se ter uma dimensão da gravidade disso, basta imaginar que essas três cidades tivessem simplesmente desaparecido. A taxa de letalidade nacional é de 2,6%.

O Pará chegou a 434.386 casos positivos de covid-19. O número estadual foi atualizado, na noite desta quinta-feira, pela Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (Sespa). As informações oficiais são publicadas no site oficial de monitoramento da Sespa. A taxa de ocupação de leitos de UTI adulta no estado é de 82,74%. O estado está sob toque de recolher e totalmente em bandeiramento vermelho (alerta máximo de risco de covid-19).

O total de óbitos registrados neste último boletim epidemiológico estadual foi de 87, sendo 53 casos recentes e 34 subnotificados. O número de mortos chegou agora a 11.062. A taxa de letalidade é de 2,55%, um pouco abaixo da média nacional. Segundo o Vacinômetro da Sespa, 768.491 pessoas receberam a primeira dose de vacina e 179.181 fizeram a segunda dose.

Do total de casos de covid-19, 405.154 se recuperaram, mas isso não deve representar tranquilidade ou minimizar o potencial destrutivo da covid-19. Os recuperados podem ficar com sequelas que podem durar semanas, meses ou até serem irreversíveis. Há 780 análises pendentes de casos suspeitos. Por dia, são processadas de 50 a 200 análises.

A Sespa reforça que as prefeituras devem passar os números mais atualizados ao sistema da Secretaria, que é o órgão que vai nortear as decisões sobre a pandemia no Pará e necessita de dados atualizados. Há vários dados que não batem entre boletins municipais e o boletim estadual.

Ainda neste boletim, foram confirmados 2.750 casos, sendo 289 casos nos últimos sete dias e 2.461 em períodos anteriores, mas subnotificados por prefeituras. A média diária de novos casos, durante a semana, tem sido de, aproximadamente, 250 casos, mas de forma recorrente a média tem sido superior.

Nos últimos sete dias, foram registrados 79 casos da doença na região Araguaia e 33 na região de Carajás. Em relação às subnotificações, foram 204 casos na Araguaia e 442 na Carajás. Na região Araguaia houve 3 mortes subnotificadas. Na região Carajás, ocorreram 15 mortes recentes e 2 óbitos subnotificados.


Todos os dados por cidade, gênero e idade podem ser conferidos no site oficial de monitoramento da doença, alimentado pela Sespa.

(Victor Furtado, da Redação Fato Regional).

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
%d blogueiros gostam disto: