Pecuaristas apresentam manifesto em prol do meio ambiente

Evento que destaca as inovações e o futuro da pecuária para o mundo está acontecendo em Marabá no sudeste paraense
O evento acontece até esta sexta-feira (29) no Carajás Centro de Convenções em Marabá no sudeste paraense | Michel Garcia

O Pará saltou de algumas milhares para quase 220 milhões de cabeças de gado, segundo dados do IBGE 2020. O crescimento foi de 6,3% e os números só fazem crescer. Esse crescimento geralmente tem sido associado ao desmatamento na Amazônia, onde o discurso diz que para se ter terra para criação de gado, é preciso desmatar a floresta.

Entretanto, é justamente esse discurso que os pecuaristas do estado querem desmistificar, querem tirar da cultura de que o fazendeiro, o pecuaristas é quem desmata.

Esse é o ponto chave do 1º Pecuariando: Encontro da Cadeia Agroindustrial, Comercial e de Serviços da Pecuária Paraense, programação que vai até sexta-feira, dia 29 de abril. O evento tem como tema “A pecuária recupera o Pará: resposta do Estado aos desafios da produção sustentável na Amazônia”.

Esse é o ponto chave do 1º Pecuariando: Encontro da Cadeia Agroindustrial, Comercial e de Serviços da Pecuária Paraense, programação que vai até sexta-feira, dia 29 de abril. O evento tem como tema “A pecuária recupera o Pará: resposta do Estado aos desafios da produção sustentável na Amazônia”.

O evento acontece até esta sexta-feira (29) no Carajás Centro de Convenções em Marabá no sudeste paraense. O governador do Estado, Helder Barbalho, acompanhado da primeira-dama, Daniela Barbalho, e de autoridades públicas, participou, nesta quarta-feira (27) da noite de abertura.

Na ocasião, foi lançado o Manifesto da Aliança Paraense pela Carne em prol da Sustentabilidade da Pecuária na Amazônia

Durante o dia, houve a apresentação do Manifesto da Aliança Paraense pela Carne em Prol da Sustentabilidade da Pecuária na Amazônia e os lançamentos do Sistema de Restauração Florestal (Sirflor) do Projeto Pecuariando. Também foi assinado o Protocolo de Intenções com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), Universidade Federal do Pará (UFPA), Banco da Amazônia e Banco do Pará (Banpará). Na ocasião, foi feita ainda a entrega de Título de Cidadão Paraense ao ex-ministro da Agricultura, Alysson Paolinelli.

“O Pecuariando é um momento histórico para nossa pecuária, dentre outros motivos, pelas estratégias de benefícios fiscais do governo do Estado revertidas em investimentos em Ciência, Tecnologia e Inovação. Importante para que possamos ampliar, principalmente olhando, para as propriedades menores, da agricultura familiar, para que possam aumentar a sua produção, para que o Estado amplie suas cabeças de gado sem precisar desmatar, comprometido com a pauta ambiental”, enalteceu o governador.

A pecuarista Camila Coalhato reconheceu a importância do setor produtivo hoje ser parceiro do meio público. “É muito importante termos o governo apoiando os pecuaristas, são duas frentes que precisam andar juntos, e acho que esse encontro, com a presença do governador, reforçou muito isso”, avaliou.

Antes da programação no Centro de Convenções, o governador Helder Barbalho foi até o Parque de Exposições da cidade para um ato simbólico de vacinação de bovinos, que marcou o início da campanha contra a febre aftosa para este ano de 2022, executada pela Agência de Defesa Agropecuária do Pará.

Antes da programação no Centro de Convenções, o governador Helder Barbalho foi até o Parque de Exposições da cidade para um ato simbólico de vacinação de bovinos
 Antes da programação no Centro de Convenções, o governador Helder Barbalho foi até o Parque de Exposições da cidade para um ato simbólico de vacinação de bovinos | Michel Garcia

“Merece destaque o início da campanha de vacinação contra a febre aftosa, para que possamos mobilizar todas as propriedades rurais, toda a pecuária do nosso Estado para a iniciativa da Adepará com expectativa de que possamos vacinar 19 milhões de cabeças de gado e assegurar uma produção bovina paraense protegida, com nível sanitário seguro, o que fortalece a atividade agropecuária”, afirmou o chefe do Executivo estadual.

 

 

 

 

 

 

Com informações de DOL Carajás e Agência Pará

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar