Perícia aponta asfixia como provável causa da morte de homem no Carrefour

Reprodução/Redes Sociais

A primeiras análises dos departamentos de Criminalística e Médico-Legal do Instituto-Geral de Perícias (IGP) do Rio Grande do Sul apontam asfixia como provável causa da morte de João Alberto Silveira Freitas, 40, espancado ontem por seguranças de uma unidade do Carrefour em Porto Alegre.

Em nota, o IGP informou que o corpo de Beto, como era conhecido, foi submetido à necropsia pela manhã e, após análise, liberado para os familiares.

Apesar da perícia inicial ter indicado asfixia como causa da morte, esta não é a conclusão definitiva, uma vez que existem exames laboratoriais em andamento. “Os laudos devem ser concluídos nos próximos dias”, comunicou o instituto.

A delegada responsável pela investigação do caso, já havia falado sobre a suspeita. “Se supõe que ele tenha sido asfixiado, ou seja, não conseguia respirar bem naquele momento e, por isso, entrou em óbito”, disse Roberta Bertoldo.


Não há previsão de quanto tempo levará para a conclusão da investigação, mas Bertoldo considera que o caso não é complexo, uma vez que a autoria já está definida e os agressores foram presos em flagrante. A delegada, contudo, não descarta que mais pessoas sejam responsabilizadas pelo crime.

 

Fonte: UOL

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar
%d blogueiros gostam disto: