Polícia Civil deflagra operação contra o tráfico e desarticula quadrilha que agia no Pará e Amapá

A Justiça decretou o sequestro de bens e o bloqueio de contas bancárias, que estima-se movimentam R$ 60 milhões. São cumpridos mandados de prisão.
Foto: Talison Lima / Ascom PCPA

A Polícia Civil do Pará, por meio da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc), vinculada à Diretoria de Polícia Especializada (DPE), deflagrou, nesta quinta-feira (12), a operação “Metallum”, com o objetivo de desarticular uma quadrilha acusada da prática dos crimes de tráfico de drogas, associação ao tráfico e lavagem de dinheiro em municípios dos Estados do Pará e Amapá.

Estão sendo cumpridos 10 mandados de prisão preventiva e 14 mandados de busca e apreensão. A Justiça também decretou medidas de sequestro de bens e bloqueio de contas bancárias das pessoas físicas e jurídicas envolvidas no esquema. Aproximadamente 21 contas bancárias foram bloqueadas, e estima-se que elas movimentavam cerca de R$ 60 milhões. Até o momento, três pessoas foram presas.

Foto: Talison Lima / Ascom PCPA

De acordo com o delegado João Costa, titular da Denarc, as investigações iniciaram em outubro de 2021, após a apreensão de 500 kg de cocaína no município de Capanema, no nordeste paraense.

“No curso das investigações, foi possível identificar um núcleo criminoso que realizava a abertura de empresas fantasmas para ocultar os recursos provenientes do tráfico de drogas. Os criminosos realizavam transferências milionárias entre si para obtenção de recursos de modo a não deixar vestígios.” destacou o delegado.

Durante as diligências policiais foram apreendidos três veículos, aparelhos celulares, dispositivos eletrônicos, quantias de dinheiro em espécie e diversos documentos. Todo o material apreendido será analisado.

O delegado-geral da Polícia Civil do Pará, Walter Resende, reforça o empenho da Polícia Civil para combater o crime organizado e o tráfico de drogas no Estado.

“Nossas equipes não têm medido esforços para enfrentar o crime e punir aqueles que cometem atos ilícitos em todas as regiões do Estado. As investigações irão continuar com o propósito de identificar todos os envolvidos neste núcleo criminoso”, apontou o delegado-geral.

Ao todo, a operação contou com a participação de 65 policiais civis das divisões estaduais de Narcóticos (Denarc), de Repressão ao Crime Organizado (DRCO), da Diretoria de Polícia Metropolitana (DPM) e da Diretoria de Polícia do Interior (DPI),  20 viaturas e com o apoio do Núcleo de Operações com Cães da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (SEAP) e do Centro Integrado de Operações em Segurança Pública do Amapá.


A PC destaca que as diligências vão continuar para prender outras pessoas envolvidas e apreender materiais que auxiliem nas investigações.

 

 

 

 

 

Com informações da Agência Pará

Compartilhar essa matéria

Veja também

Pesquisa Ipespe: Lula tem 45%; Bolsonaro, 34%; Ciro, 8%

Levantamento sobre a eleição presidencial ouviu por telefone 1.000 eleitores e tem margem de erro de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos. Pesquisa inclui ex-governador João Doria (PSDB), que desistiu da disputa

fechar
%d blogueiros gostam disto: