Policiais mandam embarcação que atracaria em Juruti voltar para o Amazonas

Por decreto estadual, transportes interestaduais rodoviários e fluviais estão proibidos. Amazonas é um dos estados do norte com maior quantidade de casos confirmados da covid-19, doença causada pelo novo coronavírus

As polícias Civil e Militar impediram que o ferryboat São Bartolomeu V atracasse no município de Juruti — região do Baixo Amazonas, oeste paraense —, na manhã desta quarta-feira (25). A embarcação vinha do Amazonas, com oito veículos e um total de 55 passageiros. Os policiais fizeram valer o decreto do governador do Estado, Helder Barbalho, que suspendeu os transportes interestaduais rodoviários e fluviais desde domingo (22).

Uma operação conjunta foi montada entre a PC, a PM, a Vigilância Sanitária e Guarda Municipal de Juruti, tão logo foi informada a chegada da embarcação amazonense. Outras duas embarcações vindas do Amazonas tinham chegada prevista para hoje e receberão a mesma orientação: as divisas interestaduais paraenses estão fechadas e as embarcações devem retornar.

O Amazonas é o estado com mais casos confirmados de covid-19, a doença causada pelo novo coronavírus (Sars-Cov-2), na região Norte. Na noite desta terça-feira (24), um paraense, de 49 anos, que morava em Parintins (AM), foi a primeira vítima morta pela doença na região Norte. No entanto, o decreto do governador paraense fecha todas as divisas para evitar a circulação do vírus. Até agora, os sete casos confirmados no Pará importaram a doença. Nenhum contraiu no território estadual.


Até momento da morte dele, a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Sesam) registrava 47 casos confirmados da doença do novo coronavírus, sendo que cinco estão hospitalizados por estarem em condição mais grave. Assim como o Pará, o Amazonas está em estado de calamidade pública.

 

 

Fonte: O Liberal

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar
%d blogueiros gostam disto: