Quarentena pode prejudicar a visão. Confira dicas para cuidar da saúde dos olhos.

Por conta da pandemia, mais pessoas passam ainda mais tempo diante das telas, aumentando o cansaço ocular. Sem cuidados e descanso, problemas podem surgir.
Se as dificuldades de enxergar e desconfortos começarem a aparecer, é importante marcar uma consulta com um oftalmologista. O quanto antes, melhor. (Foto: Ascom HRPM / Agência Pará)

Desde que a pandemia de covid-19 se instalou, cada vez mais pessoas ficaram mais tempo de olhos nas telas: televisão, celulares, computadores… é o trabalho remoto, aulas on-line, maratona de filmes e séries, vídeo-chamadas… é muito trabalho para a vista, seja para tarefas obrigatórias, seja para entretenimento. Se o cansaço da vista não for amenizado e cuidado, as pessoas podem ter problemas ou piorar condições que já tinham.

Camila Baracat Ray, responsável pela equipe de Oftalmologia do HCor (Associação Beneficente Síria), explica que períodos duradouros em frente aos computadores, celulares e televisores demandam grande esforço ocular. Isso porque, ao contrário do que se imagina, é a visão de curta distância que requer maior contração muscular do olho, um dos fatores de risco para a ocorrência de miopia (dificuldade de enxergar de longe).

“Quando trabalhamos no computador, por exemplo, é como se nossos olhos estivessem fazendo uma caminhada na esteira. E, quando olhamos para longe, é como se nossos olhos estivessem sentando para descansar”, explica Camila.

Essa alta exposição, diz a oftalmologista, pode causar diferentes tipos de desconforto, desde o lacrimejamento ocasionado pelo brilho dos equipamentos, até mesmo a sensação de corpo estranho, que é quando parece que tem alguma coisa nos olhos.

Há ainda outros sinais de cansaço ocular fáceis de notar: fadiga muscular, percebida pelo embaçamento da visão; vermelhidão e a conhecida dor de cabeça do final do dia.

“Pensando em todos esses desconfortos, apesar de sabermos que a tecnologia vem facilitando a nossa rotina durante a pandemia, devemos ficar atentos para não cometermos excessos que podem prejudicar a saúde dos nossos olhos”, relembra a médica.

Confira três dicas da especialista para ter uma relação mais saudável entre olhos e telas:

Adote a técnica 20x20x20
A cada 20 minutos de exposição a um computador ou celular, por exemplo, passe 20 segundos olhando para algo que está longe. “Inicialmente, a orientação é que os olhos foquem em algum objeto que esteja a 20 pés, ou seja, 6 metros. Mas, não estando em um ambiente com tamanha profundidade, vale somente o exercício de desviar o olhar da tela”, explica.

Descanse
Aproveite a hora do almoço ou do intervalo de aulas para sair de frente das telas, sem trocar um dispositivo por outro. “A tentação é grande, mas, ao deixarmos o computador ou tablet de lado, o ideal é não partirmos para jogos ou outros aplicativos do celular”, alerta a médica.

Bilhetinho do piscar
Sabe aquele famoso lembrete para beber água? Tenha ao lado dele o “bilhetinho do piscar” e deixe perto da tela que você costuma passar mais tempo olhando. “Pode parecer desnecessário, mas, quando estamos muito concentrados em alguma tarefa, a verdade é que realmente esquecemos desse ato simples, que mantém nossa vista lubrificada”, comenta Camila.

Por falar em lubrificação dos olhos, o uso de colírio lubrificante deve ser feito somente mediante indicação de um oftalmologista, que avaliará a necessidade e a frequência de aplicação.


A consulta ao oftalmologista, aliás, é recomendada para ser realizada anualmente, devendo ser antecipada no caso de qualquer mudança abrupta no padrão visual, como perda de visão ou alteração de campo visual.

(Da Redação Fato Regional, com informações da Máquina Cohn & Wolfe e HCor)

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar
%d blogueiros gostam disto: