Remuneração média fica estável no Estado do Pará

Entre janeiro e março deste ano, o rendimento médio de todos os trabalhos no Pará ficou em R$ 1.540.

Segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, divulgados ontem (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a remuneração média do trabalhador paraense, praticamente, não sofreu alteração em relação ao trimestre anterior. Entre janeiro e março deste ano, o rendimento médio de todos os trabalhos no Pará ficou em R$ 1.540, valor apenas R$ 3 (0,19%) acima da média do trimestre diretamente anterior (R$ 1.537). No entanto, em relação ao 1º trimestre de 2017 foi verificada uma elevação de R$ 42 (+2,8%). Naquela época, a remuneração média era de R$ 1.470.


A renda dos empregadores com CNPJ lidera de forma disparada no Estado, com média salarial de R$ 4.294 (redução de 8,9% em relação ao trimestre anterior e de 2,14% na comparação com o mesmo período do ano passado). Em seguida, vêm os militares e funcionários públicos estatutários, com, com média salarial de R$ 3.286 (+2,6% e -0,8%, respectivamente). No setor privado, a renda média do empregado com carteira assinada é R$ 1.772. Sem carteira assinada, o rendimento mensal cai para R$ 956.

Segundo o IBGE, o salário mais baixo entre a população ocupada no Pará, de R$ 633, é recebido pelos trabalhadores domésticos. Autônomos têm rendimento médio de R$ 817. Dentre as atividades econômicas, os maiores rendimentos médios do Pará estão na administração pública, defesa, seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais (R$ 2.780), seguido pela área de informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas (R$ 2.199), transporte, armazenagem e correio (R$ 1.605) e indústria geral (R$ 1.338).

 

 

Fonte: OLIBERAL.COM

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar