Romário discute com senador paraense Paulo Rocha: ‘não põe dedo na minha cara’

“Não bota o dedo na minha cara não, que eu não te desrespeito. Para de graça que não joguei porr* nenhuma contra ninguém. Vai fazer graça para a casa do car*lh*, que não é o fortão dessa porr*”, falou Romário.
Foto: Reprodução/Redes Sociais

Nesta quinta-feira, 2, os senadores Romário (PL) e Paulo Rocha (PT) protagonizaram uma discussão acalorada durante a votação de um projeto que regulamenta as atividades de profissionais de educação física. Os ânimos ficaram tão alterados, que os parlamentares tiveram que ser apartados por outros congressistas.

“Não bota o dedo na minha cara não, que eu não te desrespeito. Para de graça que não joguei porr* nenhuma contra ninguém. Vai fazer graça para a casa do car*lh*, que não é o fortão dessa porr*”, falou Romário.

O projeto que estava em votação, permite a criação do Conselho Federal de Educação Física (Confef) e os respectivos conselhos regionais (Crefs), com foco na regularização dos órgãos. O projeto foi aprovado por 36 votos a 15 e foi para sanção do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Veja imagens da discussão:

Em nota, o gabinete de Paulo Rocha afirma que o paraense “não tem nada contra o senador Romário”. Leia:

“Tanto o líder do PT no Senado, Paulo Rocha (PA), quanto o senador Paulo Paim (PT-RS), autor da emenda criticada pelo ex-jogador, estão entre os parlamentares que ajudaram na criação do conselho da categoria ainda na Câmara Federal, quando ambos eram deputados. Apesar da divergência ideológica e o debate acalorado, Paulo Rocha não tem nada contra o senador Romário”.

Já Romário, minimizou o ocorrido, mas garantiu que “ninguém vai ganhar no grito”. Confira:


“Houve uma discussão calorosa depois de uma defesa que fiz sobre o projeto da educação física. Os ânimos se exaltaram porque o senador Paulo Rocha, ao invés de usar o microfone para um debate às claras, como deve ser, resolveu colocar o dedo em riste e vir em minha direção defender o seu ponto. É legítimo que ele defenda sua posição, mas para isso há meios cordiais e públicos, dentro do regimento. Discussão é comum no Parlamento, acontece. Não tenho nada contra o Senador Paulo Rocha e sempre buscarei o diálogo e o debate dentro das regras regimentais. Mas ninguém vai colocar o dedo na minha cara e muito menos achar que vai ganhar no grito. De resto é isso. Grande vitória da educação física”.

 

 

 

 

 

Com informações do UOL

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar