domingo, 23 de junho de 2024

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

Servidores do Detran iniciam greve em todo o estado do Pará

O primeiro ato de greve foi em frente ao prédio-sede do órgão, em Belém. A categoria demanda a reposição das perdas salariais acumuladas nos últimos seis anos, revisão do PCCR e realização de concurso público para preencher ao menos 814 vagas. A mobilização pode interromper o funcionamento dos serviços do Detran em todo o estado.
A greve teve o primeiro ato oficial com a mobilização na frente da sede do Detran em Belém e ganha adesão em outros municípios (Foto: Vito Gemaque / Sindtran)

Servidores do Departamento de Trânsito do Estado do Pará (Detran-PA) entraram em greve nesta quinta-feira (6). O sindicato da categoria (Sindtran) informou que o serviço público será afetado pelo movimento em todo o estado. O primeiro ato da greve foi em Belém, onde ocorreram duas paralisações de alerta para tentar avançar nas negociações com o governo estadual, iniciadas em março deste ano.

Os trabalhadores reivindicam 26,8% de reposição das perdas salariais acumuladas durante os últimos 6 anos. A categoria também cobra a atualização do Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR / Lei 7.796/2014) e a realização de concurso público para o preenchimento de 814 cargos vagos. Essa, informa o Sindicato dos Trabalhadores de Trânsito do Estado do Pará (Sindtran) é a pauta principal de reivindicações.

O sindicato da categoria informa que os serviços podem ser prejudicados e reforça que segue tentando negociar com o Governo do Pará desde março, mas sem sucesso (Foto: Vito Gemaque / Sindtran)

“Durante o governo Helder, só tivemos reajuste em 2022, de 10,5%. As nossas perdas salariais históricas acumuladas superam 60%, mas estamos cobrando agora somente as perdas salariais sofridas no governo Helder (26,8%). São 5 anos com reajuste zero. Estamos há 18 anos sem concurso público para a maioria dos cargos do Detran-PA”, informa o presidente do Sindtran, Dênis Sampaio.

O sindicalista observa que o movimento tem crescido e ganhado adesão em todo o estado desde as paralisações em maio. “Nossa meta é conseguir o reajuste incorporado ao salário de maneira efetiva e encaminhar a proposta de atualização do PCCR à apreciação da Assembleia Legislativa do Pará, ainda neste semestre. Estamos buscando os nossos direitos junto a uma autarquia que arrecada, em media, R$ 4 milhões ao dia e que vai alcançar R$ 1,1 bilhão de receita financeira em 2024. Contraditoriamente, impõe um acúmulo brutal de perdas salarias aos seus trabalhadores e trabalhadoras”, conclui.

Por nota ao Fato Regional, o Detran comunicou que “…o atendimento aos usuários na sede do órgão, em Belém, está normal. Sobre as reivindicações dos servidores, o órgão reforça que mantém o diálogo com a categoria”. Não houve informações sobre outros municípios.

(Victor Furtado, da Redação do Fato Regional)


LEIA MAIS, NO FATO REGIONAL:

Siga o Fato Regional no Facebook e no Instagram!