Suplente de vereador eleito em Parauapebas é assassinado

Francisco da Gampp tinha uma trajetória de luta pela moradia popular e foi morto na sede da entidade que presidia
Francisco da Gampp era conhecido por comunidades mais pobres de Parauapebas pela atuação política (Foto: Reprodução / Facebook)

O professor Francisco da Silva, de 38 anos, foi assassinado a tiros em Parauapebas, no sul do Pará. Ele era presidente do Grupo de Apoio à Moradia Popular de Parauapebas (Gampp) e foi eleito suplente de vereador pelo Partido Progressista (PP), com 471 nas eleições deste ano. Familiares, amigos e correligionários estão em choque.

Francisco da Gampp, como era conhecido, morreu na porta da sede da entidade comunitária que presidia. As primeiras informações das polícias Civil e Militar são de que dois homens chegaram em uma moto — sem cor ou placa identificadas — e chamaram por ele na porta.

Testemunhas relataram aos agentes da PM e da PC que foi possível ouvir Francisco questionar se “era brincadeira”. Não há como saber, por enquanto, qual o contexto dessa frase. Logo em seguida foram ouvidos três disparos de arma de fogo. Dois tiros atingiram ele no peito e um no braço. Não houve tempo de acionar socorro.

Há fortes suspeitas de que o ataque tenha motivação política, por conta da atuação dele com camadas mais pobres da sociedade e lutar por moradia, uma causa social que costuma atrair inimigos por ferir interesses da especulação imobiliária.

Durante a campanha, no dia 11, a sede do PP de Parauapebas — partido ao qual Francisco era filiado — foi alvo da operação Boitatá II, da Polícia Federal, por suspeita do crime de compra de votos. Não se sabe se esse episódio tem alguma relação com a execução do suplente de vereador eleito.


Quaisquer informações que possam ajudar na captura dos assassinos de Francisco da Gampp podem e devem ser repassadas ao Disque-Denúncia (181). Não é preciso se identificar e a ligação é gratuita. Se a informação for mais urgente, é necessário ligar para o 190.

(Da Redação Fato Regional)

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar
%d blogueiros gostam disto: