Vale e Redes/FIEPA lançam programa para impulsionar produtos locais

Foto: Divulgação/Vale

Valorizar o empreendedor local gera trabalho, renda, contribui para a diversificação das atividades econômicas e melhora a qualidade de vida nas cidades. Agora cooperativas e/ou associações que têm empreendimentos nos ramos de alimentos, vestuário e mel em nove municípios no sudeste do Pará terão a oportunidade de impulsionar esse potencial.

Nesta terça-feira (7), aconteceu o lançamento do Programa Empreendedores Prata da Casa, fruto da parceria entre Vale e Redes/Fiepa. A iniciativa nasce com o objetivo de desenvolver esses empreendimentos comunitários, a fim de que se tornem aptos para fornecer para todo o mercado local e regional. O edital completo está disponível no site www.redesfiepa.org.br/social/pratadacasa. As inscrições são gratuitas e poderão ser feitas até 7 de julho deste ano.

A ideia é que o Programa funcione como uma incubadora de negócios, que pretende aperfeiçoar a capacidade de gestão organizacional, o desenvolvimento dos produtos e serviços ofertados e o relacionamento com o mercado. “O objetivo é apoiar empreendedores que façam a diferença para mudar a realidade de suas comunidades, que tenham orgulho de seus produtos e serviços e motivação para trabalhar e superar as barreiras de acesso aos mercados consumidores”, explica Marcel Souza, Executivo da Redes/Fiepa.

De acordo com o gerente Executivo de Sustentabilidade da Vale, Rafael Martinez, o Programa integra conjunto de ações para apoiar a diversificação econômica nos municípios onde há atividades da empresa e faz parte da ambição social anunciada pela Vale. Entre os compromissos, a empresa definiu retirar 500 mil pessoas da pobreza extrema até 2030. “É uma iniciativa inovadora e nosso objetivo é de que esses empreendimentos comunitários se tornem potenciais fornecedores no mercado e passem a compor arranjos que impulsionarão o desenvolvimento de outros setores econômicos no Pará”, diz Rafael.


Podem se inscrever para o Programa empreendimentos comunitários como cooperativas, associações, microempreendedores individuais (MEI) que já atuem com alguma atividade empresarial nos projetos executados pela Vale e grupos informais beneficiados por investimentos sociais públicos e/ou privados. A produção local deve envolver os setores de hortifrutigranjeiros, produção de mel e corte e costura e estar localizado nos municípios de Bom Jesus do Tocantins, Canaã dos Carajás, Curionópolis, Eldorado do Carajás, Marabá, Ourilândia do Norte, Parauapebas, São Félix do Xingu e Tucumã.

Os negócios selecionados contarão com assessoria especializada para o desenvolvimento de habilidades em gestão, apoio à formalização e regularização, capacitação em técnicas de operação, logística e nível de qualidade, e ainda, apoio na construção de marca e técnicas de comercialização, inclusive presença on-line. Para essa primeira turma, serão selecionados 35 empreendimentos. A realização desta iniciativa também integra medida de mitigação exigida pelo licenciamento ambiental federal, conduzido pelo Ibama.

Fonte: Vale
Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar