Velejador Paraense busca bicampeonato na 70ª edição da Regata Santos Rio

Clauberto segue ligado ao Pará e cita uma boa organização da dos atletas paraenses, sobretudo da Associação Náutica de Belém.
Veleiro BL3Urca, comandado por Clauberto Andrade na edição de 2019 da Santos-Rio. (Foto: Will Carrara)

Nascido em Capanema, no Pará, José Clauberto de Andrade está nos preparativos finais em busca do bicampeonato da regata mais tradicional do Brasil de Vela de Oceano, a Regata Santos-Rio. Esta é a 70ª edição e contará com campeões olímpicos, como Torben Grael e Martine Grael, entre outros medalhistas como Lars Grael, Kiko Pelicano, Isabel Swan e campeões mundiais como Samuel Gonçalves e Maurício Santa Cruz.

A largada da Santos-Rio será na sexta-feira, dia 23, a partir das 12h, na Baía de Santos. A partir das 10h30, haverá um desfile com fechamento do porto de Santos e salva de canhão para todos os vencedores da história da regata, dados pelo Navio-Veleiro Cisne-Branco. E ainda, a presença de uma fragata da Marinha do Brasil. A chegada será na ilha da Laje, na Baía de Guanabara, no Rio de Janeiro. A premiação no Iate Clube do Rio de Janeiro.

Ano passado, Clauberto comandou o barco BL3 URCA de Ilhabela (SP), local onde reside há vinte anos, ao título na classe BRA-RGS. Vai tentar revalidar a conquista nesta edição que contará com mais de 70 veleiros de todo o país e será o recorde nas 70 edições da mais prestigiada regata do Brasil, que tem Torben Grael como um dos maiores vencedores com cinco conquistas.

“Estamos super ansiosos para a 70ª Santos Rio, que a previsão seja das melhores para nos levar com segurança ao Rio de Janeiro e rápido que é o sonho dos velejadores seja com vento a favor com intensidade média. Adoro fazer a Santos-Rio, é um desafio, desde organização, logística, planejamento, passo sempre aos meus alunos e os levo alguns deles para a prática na Santos-Rio vivenciando situações, mar alto, navegação noturna. Eu chamo de desafio para todos nós, como se fosse uma formatura para todos nós. Ideia é nos manter bem focados nessa regata e quem sabe obter o bicampeonato na classe”, disse Clauberto que para esta edição levará três tripulantes que foram em 2019.

Clauberto gosta de usar a Santos-Rio como um teste para seus alunos. Há vinte anos trabalha como professor na escola BL3, em Ilhabela, ministrando aulas e cursos de vela oceânica. O paraense começou no esporte na década de 1980, no Rio de Janeiro, na Lagoa Rodrigo de Freitas. Passou por várias classes de monotipo e se fixou na vela de oceano, velejando com campeões olímpicos como Eduardo Penido (Ouro em Moscou em 1980) e outros grandes nomes como Sérgio Mirsky.

Clauberto segue com fortes ligações no Pará. Ele faz parte da ANB, Associação Náutica de Belém: “Vela paraense está super bem, lá temos a flotilha da classe Laser grande. Crescendo bem, pessoal se organizando, vela paraense está em crescimento. Estou sempre em contato e buscando seguir o crescimento por lá”.


A organização é do Iate Clube de Santos, Iate Clube do Rio de Janeiro com apoios da Associação Brasileira de Veleiros de Oceano, a ABVO, Prefeitura de Santos, e CBVela.

(Da Redação Fato Regional, com informações da Gallas Press)

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar
%d blogueiros gostam disto: