Vice presidente fala sobre escândalo envolvendo Flávio Bolsonaro

O vice-presidente da República, Hamilton Mourão, fez algumas declarações sobre o caso envolvendo movimentações financeiras atípicas do deputado estadual e senador eleito, Flavio Bolsonaro (PSL-RJ) e de seu ex-assessor Fabrício Queiroz. Para Mourão, “este não é um assunto do governo”. Mourão afirmou ainda que cabe ao filho do presidente Jair Bolsonaro dar as explicações devidas sobre o caso.

O Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) identificou cerca de 50 operações atípicas em contas pessoais do senador eleito no total de R$ 96 mil.

O vice-presidente se recusou a responder se o presidente deveria “jogar os filhos aos leões”, como defendem alguns assessores, para evitar contaminação do seu governo. Mourão disse que, quando apareceu o primeiro caso envolvendo Queiroz, Bolsonaro já disse que este era “um problema do Flávio e não dele”. Reconheceu, no entanto, que o assunto pode “até preocupar o presidente, porque é o caso com um filho dele”, mas insistiu que este “não é problema do governo”.


No Palácio do Planalto, há um grande incômodo com a repercussão do caso. Pessoas próximas ao presidente avaliam que o governo pode ser contaminado, mesmo que o discurso oficial do vice-presidente e de todos os integrantes do primeiro escalão diga o contrário. Assessores ouvidos pela reportagem disseram que não só entre os militares, mas também entre civis, particularmente os ligados ao ministro da Justiça, Sérgio Moro, o desconforto é grande.

 

Da Redação Fato Regional, com informações de OLIBERAL.COM

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar