Bolsonaro: segunda onda da pandemia de covid-19 é “conversinha”

Mais declaração cheia de desdém é feita pelo presidente, poucos dias após dizer que o Brasil era um "país de maricas" no combate à pandemia de covid-19, que já matou quase 165 mil brasileiros
Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom / Agência Brasil

Enquanto a Europa enfrenta lockdown pela segunda onda de covid-19 e os Estados Unidos nem saíram da primeira, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) declarou que uma segunda onda no Brasil seria “conversinha”. O comentário desdenhoso foi feito, nesta sexta-feira (13), a apoiadores que sempre se reúnem em frente ao palácio da Alvorada. Já são quase 165 mil mortos no país pela doença.

Bolsonaro fez o comentário num momento em que hospitais privados de São Paulo voltaram a registrar aumento de atendimentos e internações por covid-19. No Pará, Belém passa pela mesma situação.

“Quando peguei o vírus também, não senti nada. Não senti nada. Agora, para a TV funerária, eu tinha que ter morrido, né?”, falou, novamente criticando a imprensa brasileira. E então prosseguiu: “Tem que enfrentar se tiver [segunda onda], porque, se quebrar de vez a economia, seremos um país de miseráveis”.

LEIA TAMBÉM, EM FATO REGIONAL:

Com declaração homofóbica, Bolsonaro diz que Brasil é “país de maricas” no enfrentamento da covid-19

Bolsonaro pode ter cometido crime de racismo contra população LGBTQIA+ e povo do Maranhão


Nesta semana, o presidente já havia se referido ao Brasil como um “país de maricas”, no que se refere ao combate à pandemia de covid-19.

(Da Redação Fato Regional)

Compartilhar essa matéria

Veja também

Pesquisa Ipespe: Lula tem 45%; Bolsonaro, 34%; Ciro, 8%

Levantamento sobre a eleição presidencial ouviu por telefone 1.000 eleitores e tem margem de erro de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos. Pesquisa inclui ex-governador João Doria (PSDB), que desistiu da disputa

fechar
%d blogueiros gostam disto: