Relator do Orçamento da União diz que Bolsonaro autorizou despesas de programa social

Nesta terça (15), em vídeo, Bolsonaro disse que estava proibido falar em Renda Brasil ou cortes de recursos em benefícios e aposentadorias para sustentar um programa social.
O senador Márcio Bittar disse que não é momento de especulações. (Foto: Waldemir Barreto / Agência Senado)

O senador Márcio Bittar (MDB-AC), relator do Orçamento da União para 2021, disse nesta quarta-feira (16) que foi autorizado pelo presidente Jair Bolsonaro a incluir despesas com um novo programa social em seu relatório. Ele teve uma reunião com o presidente no Palácio do Planalto e falou com a imprensa após o encontro.

Na terça-feira (15), Bolsonaro disse que estava proibido de se falar de Renda Brasil dentro do governo até o fim do mandato dele, em 2022. O Renda Brasil era o programa que o governo pretendia criar para substituir o Bolsa Família. presidente disse que estava desistindo do programa depois que a equipe econômica começou a defender cortes de outros benefícios para financiar o Renda Brasil.

LEIA TAMBÉM, EM FATO REGIONAL:

Bolsonaro ameaça dar “cartão vermelho” a quem propor corte ou congelamento de benefícios

Agora, o relator do Orçamento levanta novamente a criação de um novo programa social, para auxiliar a população de baixa renda após o fim do pagamento do auxílio emergencial, em dezembro, como era a ideia do Renda Brasil.

“Tomei café da manhã com o presidente da República. Antes do almoço conversamos mais um pouco, e eu fui solicitar ao presidente, se ele me autorizava a colocar dentro do Orçamento a criação de um programa social que possa atender milhões de brasileiros que foram identificados ao longo da pandemia e que estavam fora de qualquer programa social. O presidente me autorizou”, disse Bittar.

Bittar diz ainda que o momento não é de “especular” sobre onde serão feitos os cortes de gastos para viabilizar o novo programa. Ele disse que apresentará o relatório na semana que vem, já com as despesas previstas para o auxílio aos mais pobres.


“Não adianta agora a gente especular do que vai tirar, onde que vai cortar, mas estou autorizado pelo presidente, ele me deu sinal verde. E, a partir de agora, vou conversar com os líderes do governo no Senado e na Câmara, conversar com a equipe econômica. Mas, a semana que vem, a ideia é apresentar um relatório que tenha as PECs e a criação desse programa”, afirmou o senador.

(Fonte: G1, com edição de Fato Regional)

Compartilhar essa matéria

Veja também

fechar
%d blogueiros gostam disto: