sexta-feira, 24 de maio de 2024

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

Vale Metais Básicos anuncia férias coletivas a 108 funcionários da Onça Puma em Ourilândia do Norte, no Sul do Pará

O início do período de férias coletivas está previsto para o dia 23 de maio. A medida é uma consequência da suspensão da licença de operação do empreendimento há mais de um mês pela Semas. A Vale Metais Básicos garante que segue buscando formas de reverter a decisão.
A usina Onça Puma, em Ourilândia do Norte, da Vale Metais Básicos. O empreendimento está em expansão para a construção de um segundo forno e emprega mais de 1,9 mil trabalhadores (Foto: Wesley Costa / Fato Regional)

Com a licença de operação suspensa há mais de um mês, a Mineração Onça Puma, empreendimento da Vale Metais Básicos em Ourilândia do Norte, no Sul do Pará, anunciou férias coletivas a 108 funcionários. A decisão foi comunicada nesta terça-feira (7) e vista com preocupação pelo Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Extrativas nos Estados do Amapá e Pará (Stieapa).

A licença de operação da Onça Puma foi suspensa pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas), que alegou “…inconformidade nos relatórios de informação ambiental anuais e no descumprimento de ações de mitigação de impactos decorrentes das atividades de mineração, resultando em conflitos com comunidades próximas à área de influência dos empreendimentos”.

O Tribunal de Justiça do Estado do Pará (TJPA) chegou a reverter a decisão por meio de liminar no final de fevereiro. Porém, no dia 3 de abril, após recurso do Governo do Pará, o Judiciário voltou a suspender a LO. A Vale Metais Básicos entrou com novos recursos junto ao TJPA e nas instâncias superiores em Brasília, mas ainda não obteve retorno.

“A empresa Mineração Onça Puma informa que concedeu férias coletivas de 30 dias para 108 empregados da unidade devido à suspensão das atividades de operação da mina de níquel pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará (SEMAS). O período será iniciado em 23 de maio. A companhia reforça o cumprimento das condicionantes e dos controles socioambientais da sua atividade conforme determina a legislação e em respeito às comunidades vizinhas. A Mineração Onça Puma segue adotando as medidas cabíveis para buscar reverter a decisão e seguir com a contribuição socioeconômica no município de Ourilândia do Norte”, diz a nota da mineradora, divulgada nesta terça-feira.

A mina de Onça Puma opera a exploração de uma das maiores reservas de níquel do mundo. Em 2022, o Grupo Vale anunciou investimentos de US$ 555 milhões para ampliar a produção da mina. Atualmente, a mina tem capacidade de produção de 12 mil toneladas de níquel por ano. O empreendimento emprega mais de 1,9 mil pessoas diretamente. Recentemente, uma parceria foi firmada junto ao Senai e à Prefeitura de Ourilândia do Norte para a abertura de um centro de formação profissional com capacidade para 1 mil alunos por ano.

Também por nota, o Stieapa comunicou: “Esta notícia é devastadora para nós, tanto como representantes sindicais quanto para os próprios trabalhadores. Em um momento crucial de expansão, com a construção do segundo forno, é incompreensível que situações como esta continuem a acontecer”. Veja abaixo o comunicado completo da entidade trabalhista:

(Victor Furtado, da Redação do Fato Regional)


LEIA MAIS, NO FATO REGIONAL:

Siga o Fato Regional no Facebook e no Instagram!