sexta-feira, 24 de maio de 2024

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

Afronta à segurança pública: município do Sul do Pará têm salva de fogos em homenagem a membros do Comando Vermelho mortos pela PM

Salvas de fogos de artifício foram vistos em vários pontos de Redenção, Conceição do Araguaia e Santana do Araguaia, territórios onde as forças de segurança do Pará enfrentam o Comando Vermelho. Na madrugada de 1º de maio, agentes da 2ª Cime e 7º BPM mataram Olávio dos Santos Brito e Allan Douglas da Silva em confronto no setor Viviane, em Redenção.
Olávio à esquerda e Allan Diogo 'Allanzinho' à direita foram os dois mortos na ação desta quarta-feira, 1º de maio, em Redenção (Foto: Reprodução / Redes Sociais / via Instagram @karloswonnei190)

Na noite desta quinta-feira (2), explosões de fogos de artifício foram visualizadas no Sul do Pará, principalmente nos municípios de Redenção, Conceição do Araguaia e Santana do Araguaia. E rapidamente os motivos apareceram sem qualquer espécie de pudor nas redes sociais da região: era uma “homenagem” a Olávio dos Santos Brito e Allan Douglas da Silva, apontados como membros do Comando Vermelho, mortos pela Polícia Militar.

Olávio dos Santos Brito e Allan Douglas da Silva morreram durante uma operação na madrugada do feriado de 1º de maio, em Redenção, no setor Viviane. Agentes da 2ª Companhia Independente de Missões Especiais (Cime) e 7º Batalhão de Polícia Militar foram acionados para uma denúncia de tráfico de drogas e disparos de arma de fogo. Chegando ao local indicado, os policiais relataram ter sido recebidos a tiros e reagiram.

Com Olávio e Allan, foram apreendidas armas e drogas. Olávio era conhecido pela polícia e investigado por diversos crimes. Ele, há algum tempo, estava no Rio de Janeiro, onde foi filmado dançando e bebendo enquanto portava um fuzil. Era apontado como liderança do Comando Vermelho em Redenção e respeitado no submundo da criminalidade do Sul do Pará. Havia retornado à cidade no começo do ano.

Diante da afronta e despudor de se mostrarem de forma tão aberta, o Fato Regional entrou em contato com a Assessoria de Comunicação da PM, da PC e da Secretaria de Estado de Segurança Pública em busca de um posicionamento sobre o caso. Até o começo da manhã desta sexta-feira (3), não há informes sobre prisões ou abordagens específicas nos municípios.

(Victor Furtado, da Redação do Fato Regional)


LEIA MAIS, NO FATO REGIONAL:

Siga o Fato Regional no Facebook e no Instagram!