terça-feira, 21 de maio de 2024

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

Cacau de Tucumã encerra primeira quinzena de maio em alta e com valorização frente aos mercados estadual e nacional

Nesta quarta-feira (15), o mercado de cacau em Tucumã animou produtores, com o preço por quilo batendo R$ 50, bem mais valorizado que na cotação média do Pará, em cerca de R$ 40
O Brasil é o 7º país do mundo em produção de cacau e o Pará é o principal estado produtor (Foto: Pedro Guerreiro / Agência Pará)

O mercado de cacau de Tucumã chega ao final da primeira quinzena de maio aquecido e com preços que animaram os produtores do sul do Pará. A cotação pela Cooperativa Mista Agropecuária de Tucumã (Coopertuc) desta quarta-feira (15) é de R$ 50 por quilo. É uma significativa valorização frente aos preços do mercado estadual e nacional, que cotaram em média R$ 40 por quilo.

Nas principais praças do Brasil e do estado, o preço do cacau está em queda desde o dia 10, após uma leve alta nacional. Na cotação fechada nesta terça-feira (14), o preço da arroba do fruto na Bahia foi de R$ 610 (em queda de 6,15%). A saca no Espírito Santo ficou em R$ 2.440,00 (também em queda de 6,15%). Já o preço por quilo do Pará foi de R$ 40 (recuo de 2,44%).

O cacau é considerada a commodity agrícola mais valorizada de 2024 até o momento. No dia 18 de abril chegou ao pico de 191% de valorização, a maior alta desde 2020. Possivelmente, é o resultado de mudanças climáticas. Há certa defasagem entre a demanda e a oferta e isso deve seguir potencializando a cultura do cacau no Brasil até 2029.

(Victor Furtado, da Redação do Fato Regional, com informações de Mercado do Cacau e UOL)


LEIA MAIS, NO FATO REGIONAL:

Siga o Fato Regional no Facebook e no Instagram!