sexta-feira, 24 de maio de 2024

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

Ex-delegado de Redenção é preso pela Polícia Civil de Mato Grosso em operação contra ‘Gabinete do Crime’

Geordan Fontenelle, que também chegou a ser candidato a vereador por Redenção, no Sul do Pará, atuava como delegado na Polícia Civil do Mato Grosso. Segundo as investigações, ele seria o líder de uma associação criminosa que envolvia a própria Polícia Civil, advogados e garimpeiros da região de Peixoto Azevedo (MT).
Geordan, além de ter sido delegado em Redenção e ter passado por outras corporações policiais de outros estados, tentou a vida na política em Redenção e em Peixoto de Azevedo e foi professor de Direito Processual e Penal (Foto: Reprodução / Redes Sociais)

O delegado Geordan Fontenelle foi preso, na manhã desta quarta-feira (17), em Peixoto de Azevedo (MT). Ele foi delegado de Polícia Civil em Redenção, no Sul do Pará, e também foi candidato a vereador pelo Podemos no mesmo município em 2020. Ele foi um dos alvos da operação “Diaphtora”, da Polícia Civil do Mato Grosso, onde ele estava atuando. As investigações apontam que ele seria o suposto chefe de uma associação criminosa que envolvia advogados, garimpeiros e policiais.

As investigações começaram a partir de denúncias recebidas pela Corregedoria-Geral da Polícia Civil do Mato Grosso. As informações deram início à investigação, que identificou o suposto envolvimento do delegado num esquema de vantagens indevidas, advocacia administrativa e assessoramento de segurança privada. O esquema ganhou o apelido de “Gabinete do Crime” pela imprensa mato-grossense. Geordan está em estágio probatório na PCMT após ser nomeado em 2021.

No esquema investigado pela Polícia Civil do Mato Grosso, o delegado Geordan e um investigador são suspeitos de solicitar pagamentos para liberação de bens apreendidos; de “diárias” para hospedar presos no alojamento da delegacia; e de cobrar pagamentos mensais para decidir sobre procedimentos criminais instaurados na delegacia de Peixoto de Azevedo. Além dos dois mandados de prisão, foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão e três medidas cautelares.

Geordan ostentava uma vida de luxo e com várias viagens internacionais e bens nas redes sociais (Foto: Reprodução / Redes Sociais)

Nas redes sociais, Geordan ostentava uma vida de luxo, com viagens a outros países e bens diversos, além de mostrar o cotidiano do ofício policial. Ele já atuou na Polícia Civil de Goiás, na Polícia Civil do Distrito Federal e também foi professor de Direito Processual e Penal. Enquanto candidato a vereador, se autointitulava “Delegado do Povo”. Também tentou ser vereador por Peixoto de Azevedo, mas não foi eleito, assim como em Redenção.

O Fato Regional respeita o princípio da presunção de inocência e sempre abre espaço para a defesa dos mencionados em casos policiais — se os advogados ou envolvidos acharem conveniente quaisquer manifestações —, garantindo amplo direito ao contraditório.

(Victor Furtado, da Redação do Fato Regional, com informações da PCMT)


LEIA MAIS, NO FATO REGIONAL:

Siga o Fato Regional no Facebook e no Instagram!