sexta-feira, 12 de abril de 2024

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

Homem é preso no Pará durante operação de combate à pedofilia e uma rede de pornografia infantil

As investigações começaram em 2021, no Rio Grande do Sul, durante uma outra operação da Polícia Federal que identificou uma rede de pedofilia com membros no Pará. A operação desta sexta-feira, 1º de março, ocorreu em Belém e em Capitão Poço, para cumprimentos de mandados de busca e apreensão, mas resultaram na prisão em flagrante de um dos suspeitos.
A prisão ocorreu numa casa bastante humilde, mas em local não revelado pela PF (Foto: Polícia Federal)

Um homem foi preso em flagrante, no Pará, por suspeita de participar de uma rede nacional de pedófilos, que compartilham entre si imagens de pornografia de crianças e adolescentes. Ele era alvo de um mandado de busca e apreensão, no contexto da operação “Chat Privado”, deflagrada pela Polícia Federal, na manhã desta sexta-feira, 1º de março. A ação ocorreu nas cidades de Capitão Poço e Belém.

As investigações começaram em 2021, após uma operação contra o armazenamento e compartilhamento de imagens pornográficas de crianças e adolescentes no Rio Grande do Sul. Foi quando os alvos do Pará e de outros estados foram identificados e começaram a ser monitorados.

Durante o cumprimento dos mandados de busca e apreensão, os policiais federais flagraram, no celular de um dos suspeitos — que poer padrão da PF não tem endereço e nem identidade revelados — as imagens ilegais que levaram à prisão dele em flagrante. Os celulares foram apreendidos e serão submetidos a perícia técnica para extração do seu conteúdo.

“Os investigados responderão pelos crimes de armazenamento e compartilhamento de pornografia infantojuvenil, previstos no Estatuto da Criança e do Adolescente, além de outros crimes que venham a ser identificados no decorrer das investigações”, diz nota da PF sobre a operação “Chat Privado”.

(Da Redação do Fato Regional)


LEIA MAIS, NO FATO REGIONAL:

Siga o Fato Regional no Facebook e no Instagram!