domingo, 3 de março de 2024

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

Mais de 6 mil pessoas morreram no conflito entre Israel e Hamas; 30 brasileiros seguem esperando abertura para deixar Gaza

Levantamento da manhã desta segunda-feira (23/10) mostra que muito mais pessoas morreram no lado palestino e por enquanto não há novos pedidos de repatriação em Israel, de onde o Governo Federal resgatou mais de 1,4 mil pessoas
Após o ataque do Hamas, a Faixa de Gaza está devastada e teve baixas e prejuízos muito superiores com a resposta de Israel (Foto: Mohammed Salem / Via Agência Brasil)

Mais de 6 mil pessoas morreram no conflito entre Israel e Hamas, como mostra um levantamento feito pela Agência Brasil e a Agência Lusa, divulgado na manhã desta segunda-feira (23). O Ministério da Saúde do Estado da Palestina aponta que o conflito deixou 4.651 mortos e 14.245 feridos na Faixa de Gaza. Em Israel, são 1,4 mil mortos, a maioria no ataque de 7 de outubro. Ao todo, mais de 18 mil pessoas foram feridas, sendo a maioria palestina.

Cerca de 1 milhão de pessoas tiveram que deixar as próprias casas por conta de um dos mais graves conflitos da história de tensão entre o estado de Israel e a Palestina, que dessa vez sofre após um ataque terrorista da organização política, social e bélica Hamas ser executado contra civis israelenses e turistas. A Organização das Nações Unidas (ONU) aponta vários crimes de guerra cometidos por ambos os lados no atual confronto que se origina na histórica disputa por territórios considerados sagrados para ambas as partes.

Após oito viagens de repatriação, 1.410 brasileiro foram retirados de Israel após manifestarem vontade ao Governo Federal. O Brasil foi o primeiro país a retirar cidadãos da área de conflito e sem cobrar nada. Também foram resgatadas outras pessoas de países da América Latina e 50 animais de estimação. Por enquanto, não há novas viagens e pedidos de repatriação em Israel.

Em Gaza, 30 brasileiros ainda aguardam a repatriação desde a semana passada. Porém, ainda não houve segurança e nem a abertura de corredores humanitários entre a Faixa de Gaza e o Egito, única rota possível no momento. O Egito pode sofrer um colapso se os quase 2 milhões de cidadãos palestinos buscarem abrigo para fugir do conflito. O Governo Federal garante que está mantendo contato permanente com os brasileiros até que a repatriação seja possível.

(Da Redação do Fato Regional, com informações da Agência Brasil)


LEIA MAIS, NO FATO REGIONAL:

Siga o Fato Regional no Facebook e no Instagram!