sexta-feira, 1 de março de 2024

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

Polícia Federal e ICMBio fecham garimpos em Parauapebas e Curionópolis que ameaçavam sistema de energia; 7 pessoas foram presas por crimes ambientais

Houve resistência em Parauapebas, onde moradores atacaram as equipes da Polícia Federal e do ICMBio com paus, pedras e rojões durante a operação que mirou em garimpos que ameaçavam o sistema de energia elétrica
A Polícia Federal e o ICMBio apontam não só riscos às linhas de transmissão, mas o de poluição de rios que abastecem Parauapebas e região com mercúrio, item usado na extração de ouro (Foto: Divulgação / PF)

Uma operação da Polícia Federal e do ICMBio fecharam garimpos ilegais que, como apontam as investigações, traziam risco às linhas de transmissão de energia elétrica no sudeste do Pará. A ação ocorreu nesta quarta-feira (17), nos municípios de Parauapebas e Curionópolis. Além da apreensão e inutilização de maquinário, sete pessoas foram presas em flagrante por crimes ambientais. A operação contou com apoio da Polícia Militar.

“Durante a operação, houve forte resistência em Parauapebas. Moradores de uma vila próximo aos garimpos bloquearam o acesso da estrada com pneus e pedras, bem como lançaram rojões e pedras contra o helicóptero da Polícia Federal. Foram apreendidas duas PA Carregadeiras, 16 motores hidráulicos, uma draga e 3 mil litros de diesel. Tendo em vista a impossibilidade de remoção, os maquinários e acessórios foram inutilizados (cerca de R$ 1,5 milhão)”, informou a PF por nota.

A PF informou ainda que os pontos de garimpo ilegal de ouro foram encontrados no rio Novo e igarapé Gelado, em Parauapebas e Curionópolis, numa região que já foi alvo de outras operações recentes da PF e apresenta reincidência nos crimes ambientais. E dessa vez, também com ameaça às linhas de transmissão de energia. As ações contaram com apoio da Diretoria da Amazônia e Meio Ambiente (Damaz), da PF, e Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (Censipam).

Os garimpos investigados são uma ação reincidente numa área que já teve ações anteriormente e tem elevado índice de risco às linhas de transmissão de energia e aos rios de Parauapebas (Foto: Divulgação / Polícia Federal)

“Mais de 70 servidores entre policiais federais e agentes do ICMBIO se dividiram entre as operações Igarapé Gelado, Serra Leste e Rio Novo – essa última, trazendo risco às linhas de transmissão da Usina Belo Monte (BMTE). Ela passa por quatro Estados (PA, TO, GO e MG), abastecendo o Sistema Interligado Nacional (SIN), que distribui energia elétrica para todo Brasil. O avanço do garimpo em direção às torres de transmissão traz sério risco de desabastecimento ao país”, reforçou a PF por nota.

Em Parauapebas, houve protestos contra a operação e ataques a paus, pedras e rojões às equipes da PF, do ICMbio e da PM (Foto: Divulgação / Polícia Federal)

Por fim, a PF destacou que outros dez pontos dos garimpos investigados poluem rios que abastecem a cidade de Parauapebas e região. “Conforme atestado por órgãos ambientais, a bacia hidrográfica local já apresenta alto grau de contaminação por conta do uso irregular de mercúrio. O rio Novo é o mais agredido nos últimos anos, levando poluição ao rio Parauapebas, que fica às margens da Floresta Nacional de Carajás”, concluiu a corporação.

(Da Redação do Fato Regional)


LEIA MAIS, NO FATO REGIONAL:

Siga o Fato Regional no Facebook e no Instagram!