sexta-feira, 1 de março de 2024

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

Em São Paulo, dois PMs são afastados após tiro de airsoft contra rosto de bebê de 1 ano

Havia situações que poderiam levar os PMs a ordenar uma parada ao pai da criança, que cometia irregularidades ao dirigir de moto, mas nada justificaria o disparo sem aviso
Não havia situação que justificasse o disparo, mesmo que de airsoft, como apontam a PC e a PM de São Paulo, apesar das infrações graves de trânsito cometidas pelo pai da bebê ferida no rosto pelos policiais (Foto: Reprodução / Globo)

Uma bebê de 1 ano de idade foi atingida no rosto por um tiro de airsoft, disparado de dentro de uma viatura da Polícia Militar de São Paulo. Dois agentes estavam no veículo, foram identificados e afastados. O caso está sendo investigado e pode resultar na expulsão dos agentes. A criança está ferida (mas passa bem) e a família em pânico. O caso ocorreu durante a madrugada desta terça-feira (26).

Tudo começou, como apontam as investigações da Polícia Civil e da Corregedoria da PM, quando o pai estava com a bebê no colo em uma moto. Ele estava sem capacete e sem habilitação num veículo emprestado de um amigo. Só por esses motivos, ele poderia ser abordado e submetido a punições devido a um combinado de infrações gravíssimas de trânsito. Mas não foi isso que ocorreu.

Pelas imagens de câmeras de segurança na rua Sete Estrelas, na zona leste da cidade de São Paulo, um dos policiais apenas bota o braço para fora e faz o disparo, sem qualquer alerta ou ordem de parada. A presença do bebê numa moto já deveria levar os agentes a agir com cautela. Para a Polícia Civil e Corregedoria, se fosse com uma arma de verdade, poderia ser o caso de uma tentativa de homicídio.

As perícias mostraram que o ferimento foi causado por um artefato plástico e por isso constatado o uso de uma arma de airsoft, que é sim capaz de machucar seriamente uma pessoa atingida e costuma ser usada por atiradores esportivos ou colecionadores. Testemunhas relataram que os policiais voltaram posteriormente para verificar câmeras.

(Da Redação do Fato Regional)


LEIA MAIS, NO FATO REGIONAL:

Siga o Fato Regional no Facebook e no Instagram!