sexta-feira, 12 de abril de 2024

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

Polícia Federal investiga supostas fraudes em documentos fundiários no sul e sudeste do Pará; suspeito é preso em Rio Maria por posse de arma

As fraudes investigadas pela Polícia Federal são em documentos necessários para regularização, transferência e titulação de terras. A suposta organização criminosa atuava nas regiões de Marabá e Redenção. O suspeito foi preso durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão por estar com uma arma de fogo de uso restrito.
Com o suspeito de Rio Maria foram apreendidos documentos, mídias, 2 carros e a arma de fogo de uso restrito que o rendeu prisão em flagrante (Foto: Polícia Federal)

A Polícia Federal deflagrou a operação “Terra Legal”, nesta quinta-feira (22), para investigar uma organização criminosa que opera fraudes em documentos fundiários — necessários para regularização e transferência de terras em áreas de projetos de assentamento —  nas regiões sul e sudeste do Pará. Durante o cumprimento de um mandado de busca e apreensão em Rio Maria, um suspeito foi preso, em flagrante, por posse ilegal de arma de fogo.

Um dos veículos apreendidos com o suspeito em Rio Maria (Foto: Polícia Federal)

A operação Terra Legal conta com a parceria do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). As investigações apontam que o grupo criminoso que atua nas regiões de Marabá e Redenção. Nesta quinta-feira, os agentes federais aprenderam documentos, mídias e 2 carros nos endereços do investigado. A arma encontrada com o suspeito era de uso restrito e estava com outras irregularidades apontadas pela Polícia Federal.

“A investigação aponta que documentos eram forjados para regularização e transferência de áreas em projetos de assentamentos. Foi confirmada a falsificação de certidão de baixa de cláusulas resolutivas, que contêm condições impostas pelo Incra ao expedir um título de propriedade. A Polícia Federal prossegue para a identificação de outros integrantes do grupo”, informou a PF por nota.

(Da Redação do Fato Regional)


LEIA MAIS, NO FATO REGIONAL:

Siga o Fato Regional no Facebook e no Instagram!