segunda-feira, 27 de maio de 2024

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

São Félix do Xingu é destaque na redução do desmatamento; decreto de emergência em 15 cidades reduziu 66% dos alertas

O município com o maior registro de redução do desmatamento foi Portel. São Félix do Xingui figura em segundo e Pacajá em terceiro. Antes, juntos, esses três municípios eram responsáveis por 71% dos alertas e agora somam 47%. Em todo o Pará, como aponta o sistema Deter / Inpe, a redução do desmatamento chegou a 49% no período de agosto de 2023 a fevereiro de 2024.
Vista aérea das áreas verdes de São Félix do Xingu, 2º município que mais teve redução dos alertas de desmatamento no Pará (Foto: Marcelo Souza / Agência Pará)

Dos 15 municípios que constam no decreto estadual nº 2.887/2023, que declarou “Estado de Emergência Ambiental”, São Félix do Xingu, no sul do Pará, foi o segundo a ter maior redução dos alertas de desmatamento. A medida do Governo do Estado aponta uma redução geral  de 66% dos alertas de devastação da natureza, no período entre agosto de 2023 e fevereiro de 2024. Os dados são do Sistema de Detecção do Desmatamento em Tempo Real (Deter), do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe).

Somados, os 15 estados-alvos do decreto apresentaram uma redução de 934 km² nos alertas de desmatamento no período analisado. Com redução de 140,5 km² das áreas desmatadas, São Félix do Xingu só ficou atrás de Portel, que registrou 162,08 km² de redução dos registros. De modo geral, os dados do Deter/ Inpe apontaram uma queda nos casos de 49% de toda a região no mesmo período de agosto de 2023 a fevereiro de 2024.

Pacajá foi outro município em destaque na redução do desmatamento, com diminuição em área de 108,97 km². Em 2023, o Pará registrou área desmatada de 1.977 km², com participação de 71% dos municípios que agora são destaques na redução dos alertas. Em 2024, a área estadual desmatada foi de 1.009 km² e a participação de Portel, São Félix do Xingu e Pacajá é de 47%.

“O fato de que os 15 municípios no acumulado do Ano Prodes 2024, em relação a 2023, terem apresentado redução de 66% na área recoberta por alertas de desmatamento, ratifica a importância da continuidade do decreto de emergência ambiental, não apenas porque eles apresentaram uma redução efetiva, mas também porque esse fenômeno se reflete no Cômputo Geral do Desmatamento do Estado do Pará. Então, quando é decretada emergência ambiental nesses municípios críticos, tem-se um efeito positivo que se estende para além destes territórios, pois se reflete em todo o Estado do Pará”, explica o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Pará, Mauro O’de Almeida.

As projeções traçadas para o Estado, a partir da taxa de desmatamento de 2019, motivaram a adoção de medidas por parte do Governo, o que culminou com o Plano Estadual Amazônia Agora (PEAA), criado em 2020, principal plataforma de ações para a redução sustentada de desmatamento no Pará. O plano inclui combate direto aos crimes ambientais e políticas como regularização ambiental rural, fomento aos produtores rurais, rastreabilidade da cadeia produtiva, e de desenvolvimento da bioeconomia no Estado.

(Da Redação do Fato Regional, com informações da Agência Pará)


LEIA MAIS, NO FATO REGIONAL:

Siga o Fato Regional no Facebook e no Instagram!