quarta-feira, 24 de abril de 2024

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

Após promessa da Prefeitura de Parauapebas, aulas ainda não recomeçaram na comunidade Santa Rita

À comunidade da escola Santa Rita, os funcionários avisaram que os contratos ainda não haviam sido assinados e isso não dava segurança para que os trabalhos fossem iniciados. Já a Prefeitura de Parauapebas, que havia assegurado a retomada das aulas para esta terça-feira (5) e promoveu uma reunião com as famílias dos estudantes, alega que os profissionais aprovados no processo seletivo simplificado não se apresentaram
Agora a escola Santa Rita recuperou um micro-ônibus para o transporte escolar e ganhou um veículo novo. As aulas tinham previsão de início nesta terça-feira, 5 de março, conforme assegurou a prefeitura (Foto: Divulgação / WhatsApp do Fato Regional)

A saga dos estudantes da escola Santa Rita, que fica numa comunidade de mesmo nome em Parauapebas, no limite com Ourilândia do Norte, ganha mais um capítulo: as aulas que deveriam ser retomadas nesta terça-feira (5), como assegurou a prefeitura, não recomeçaram. As famílias dos alunos, após uma reunião considerada positiva na segunda-feira (4), à noite foram surpreendidas com um comunicado de que os contratos com os profissionais não haviam sido feitos.

Ao Fato Regional, a Prefeitura de Parauapebas enviou uma nota explicando que “…dos sete professores convocados pelo Processo Seletivo Simplificado (PSS), apenas três se apresentaram dentro do prazo estabelecido para habilitação e ingresso no cargo, o que impossibilitou o início regular das aulas na localidade”. Por enquanto, as aulas não foram retomadas nem de forma parcial, com os professores já disponíveis, como informam familiares de alunos da escola Santa Rita.

Ainda na nota, a prefeitura assegurou que “…visando minimizar os impactos para os alunos, a Semed já está em diálogo com a Coordenadoria de Treinamentos e Recursos Humanos (CTRH) e a Secretaria Municipal de Administração (Semad) para realizar uma nova convocação de profissionais o mais breve possível, a fim de regularizar a situação. A prefeitura destaca seu compromisso em assegurar a reposição das aulas na comunidade posteriormente”.

Os manifestantes expuseram que a energia elétrica da escola é feita por uma ligação clandestina durante a manifestação (Foto: Divulgação / Via WhatsApp do Fato Regional)

Com isso, apesar de a comunidade ter ficado feliz com o recebimento de um segundo ônibus para o transporte escolar — um dos motivos de um protesto ocorrido no dia 22 de fevereiro — agora volta a ficar sem saber exatamente quando as aulas, que deveriam ter recomeçado no dia 22 de janeiro, serão de fato iniciadas e repostas. A Prefeitura de Parauapebas não deu previsões de quando a situação deve ser normalizada. Uma reunião foi convocada com a comunidade escolar para esta quinta-feira (7), na busca por soluções.

(Victor Furtado, da Redação do Fato Regional)


LEIA MAIS, NO FATO REGIONAL:

Siga o Fato Regional no Facebook e no Instagram!