segunda-feira, 27 de maio de 2024

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

FALE COM FATO REGIONAL

Envie Notícias, Fotos e Sugestões

Após prisão de lideranças Tembé do Pará durante conflitos do dendê, PF prende ex-policial suspeito de atentado contra indígenas e quilombolas

Essa foi a segunda etapa da operação 'Guaicuru', que investiga conflitos de terras entre indígenas da etnia Tembé, quilombolas e empresas produtoras de dendê. As tensões escalaram para violência ao longo de 2023 e com vítimas de ambos os lados.
Os conflitos, operações e escalada da violência em Tomé-Açu já foram motivos para vários protestos de indígenas e quilombolas (Foto: Reprodução / Redes Sociais)

Em um desdobramento da operação “Guaicuru”, a Polícia Federal prendeu, nesta segunda-feira (18/3), um policial militar reformado que é suspeito de integrar milícia invasora de terras na área de Tomé-açu, região nordeste do Pará. A ação ocorreu em Belém, com apoio da Polícia Civil, e faz parte da investigação de conflitos de terra entre empresas produtoras de dendê, indígenas Tembé e quilombolas. Na primeira etapa da operação, foram presas duas lideranças indígenas da etnia, em 29 de janeiro.

“Após a primeira etapa da operação, foi pedida a prisão do alvo. Ele passou a ser procurado por conta da suspeita de invasão de terras produtivas de dendê e de atentar contra os povos indígenas e quilombolas da área de Tomé-Açu. O mandado de prisão foi cumprido no fim da tarde, na casa dele. Trata-se de mais ação realizada a partir da soma de esforços entre a Polícia Federal e a Polícia Civil para conter a escalada da violência da região e garantir a segurança das comunidades indígenas e quilombolas”, diz nota da PF.

A operação, que investiga ambos os lados do conflito por terras que se agravou ao longo do ano passado, apura os crimes de tentativa de homicídio, associação criminosa, milícia privada, posse ilegal de arma de fogo, dentre outros. De um lado, povos originários apontam invasão de terras protegidas, ameaças por parte das empresas produtoras de dendê e crimes contra a vida. Já as empresas alegam ser vítimas de invasões e destruição de patrimônio.

As duas lideranças da etnia Tembé presas, segundo a investigação da Polícia Federal, supostamente se valiam da condições de lideranças para o cometer diversos crimes, inclusive contra a própria comunidade indígena. “A operação Guaicuru visa restabelecer a ordem pública na região de Tomé-Açu, sobretudo em relação aos conflitos que envolvem as comunidades tradicionais. Existem disputas entre os próprios Tembé e também deles com quilombolas, por terras produtivas de dendê”, conclui a PF. As investigações ainda estão em curso.

(Da Redação do Fato Regional)


LEIA MAIS, NO FATO REGIONAL:

Siga o Fato Regional no Facebook e no Instagram!